Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

04 de julho de 2019, 12h35

Comissão de Direitos Humanos inicia nesta quinta visita à Alcântara (MA)

Parlamentares querem acompanhar de perto a situação das famílias de quilombolas e os possíveis impactos do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), firmado pelos Governos do Brasil e dos Estados Unidos, em março deste ano

Deputados e autoridades indicadas pela Câmara dos Deputados iniciam, nesta quinta-feira (4), a diligência à cidade de Alcântara (MA). A viagem, coordenada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), acontece para que os representantes do colegiado acompanhem de perto a situação das famílias de quilombolas e os possíveis impactos do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), firmado pelos Governos do Brasil e dos Estados Unidos, em março deste ano.

A programação incluirá a visita a duas comunidades de quilombolas, uma delas remanejada na década de 1980 (Agrovila), e outra comunidade do litoral maranhense.

Na sexta-feira (5), pela manhã, parlamentares se reúnem com integrantes da sociedade civil local. À tarde, será realizada audiência com o Governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, no Palácio dos Leões, em São Luís.

Membro da CDHM, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) tem defendido o estreitamento do debate com a população maranhense e afirma que a tramitação do AST representa uma chance de passar a limpo dívidas com as comunidades da região.

“É preciso que se faça uma limpeza dos passivos que já tardam quase três décadas e aqueles que já levam mais tempo que isso. Precisamos fazer um bom debate para que possamos ajudar o Brasil a entrar, de maneira clara e soberana, neste importante mercado internacional”, defendeu.

Veja também:  Morre Chico de Oliveira, sociólogo e fundador do PT

Ainda integram a comitiva os parlamentares Helder Salomão (PT-ES), presidente da CDHM, Bira do Pindaré (PSB-MA), além da procuradora federal dos Direitos Humanos, Deborah Duprat e Hilton Araújo de Melo, procurador da República no Maranhão.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum