Imprensa livre e independente
21 de janeiro de 2019, 21h41

Comprador confirma pagamento a Flávio Bolsonaro, mas datas não batem com escritura

Escritura cita pagamentos nos meses de março e agosto de 2017, porém, relatório do Coaf indica que depósitos suspeitos na conta do filho do presidente ocorreram em junho e julho

Foto: Agência Brasil Flávio Bolsonaro tenta se explicar, mas não consegue convencer. Dessa vez, matéria extensa do Jornal Nacional mostrou que uma escritura registra que o filho do presidente recebeu dois imóveis e mais R$ 600 mil pela venda de um apartamento. Flávio havia declarado que parte do sinal dessa compra foi paga em dinheiro e que depositou em sua conta entre os meses de junho e julho de 2017, de acordo com informações de Arthur Guimarães e Paulo Renato Soares, no Jornal Nacional e G1. Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique...

Foto: Agência Brasil

Flávio Bolsonaro tenta se explicar, mas não consegue convencer. Dessa vez, matéria extensa do Jornal Nacional mostrou que uma escritura registra que o filho do presidente recebeu dois imóveis e mais R$ 600 mil pela venda de um apartamento.

Flávio havia declarado que parte do sinal dessa compra foi paga em dinheiro e que depositou em sua conta entre os meses de junho e julho de 2017, de acordo com informações de Arthur Guimarães e Paulo Renato Soares, no Jornal Nacional e G1.

Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

O comprador ratifica a história e afirma que pagou cerca de R$ 100 mil em espécie. No entanto, segundo a escritura, o pagamento de R$ 550 mil aconteceu três meses antes das operações consideradas “atípicas” pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Os outros R$ 50 mil foram pagos em agosto, em cheques no ato da escritura.

Veja também:  Para Fórum Brasileiro de Segurança, Bolsonaro “demonstra desprezo institucional” por novos decretos de armas

O imóvel tem 226 metros quadrados e Flávio comprou na planta junto com a esposa. Conforme indica a escritura, a aquisição aconteceu em dezembro de 2016, no valor é de R$ 1,7 milhão.

O documento diz que, em 2017, ele fez uma permuta com Fábio Guerra e a esposa, Giordana Vinagre de Farias Guerra. Deu o imóvel de Laranjeiras pelo valor de R$ 2,4 milhões em troca de outro apartamento no Rio; uma sala de escritório na Barra da Tijuca, na Zona Oeste; e mais R$ 600 mil.

Escritura

Entretanto, a escritura diz que os R$ 600 mil foram pagos da seguinte maneira: R$ 550 mil de sinal, em 24 de março de 2017; cinco cheques que somaram R$ 50 mil, em 23 de agosto de 2017.

O filho do presidente afirma que o dinheiro recebido como sinal é o mesmo que foi depositado em sua conta em junho e julho, como aparece no relatório do Coaf. Mas as datas não batem.

O relatório do Coaf apontou que foram realizados 48 depósitos em dinheiro na conta de Flávio, todos no serviço de autoatendimento da agência bancária da Assembleia Legislativa (Alerj), e sempre no mesmo valor de R$ 2 mil reais.

Veja também:  Leia a reportagem envolvendo filho de FHC, Odebrechet e paraísos fiscais que foi recusada pela grande mídia

O total foi de R$ 96 mil depositados em cinco dias. Em 13 de julho de 2017, por exemplo, foram 15 depósitos em apenas 6 minutos.

Portanto, Flávio ainda não conseguiu explicar por qual razão optou por fazer 48 depósitos de R$ 2 mil, com diferença de minutos em cada operação, ao invés de depositar tudo que recebeu em dinheiro de uma só vez na agência bancária.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum