Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
23 de janeiro de 2020, 11h20

Denúncia contra Glenn é “copia e cola” de ação do governo dos EUA contra Assange, diz revista

"É um ataque óbvio de Bolsonaro a alguém que se tornou um espinho jornalístico ao seu lado", diz o jornalista Mathew Ingram na Columbia Journalism Review, uma das mais respeitadas publicações do mundo sobre jornalismo

Glenn Greenwald e Julian Assange (Reprodução)

Artigo do jornalista Mathew Ingram, publicada nesta quarta-feira (22) no site da Columbia Journalism Review, uma das mais conceituadas publicações sobre jornalismo do mundo, diz que a denúncia feita pelo procurador Wellington Divino Marques de Oliveira contra Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept, é praticamente uma cópia do argumento usado pelo Departamento de Justiça dos EUA na ação contra o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, no ano passado – com excessão à acusação de espionagem.

“O caso contra Greenwald passa a ser quase uma cópia do argumento do Departamento de Justiça na declaração que fez contra o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, no ano passado, que contém mais de uma dúzia de acusações sob a Lei de Espionagem. Assim como o governo brasileiro, os promotores estadunidenses tentam afirmar que Assange não apenas recebeu documentos diplomáticos vazados e outras informações do ex-funcionário do Exército, Chelsea Manning, mas que ele participou ativamente do hackeamento e vazamento e, portanto, não merece a proteção da Primeira Emenda”, diz o texto, citando o dispositivo da constituição dos EUA que estabelece a Liberdade de Imprensa.

Segundo Ingram, este é um “claro ataque ao jornalismo”. “É um ataque óbvio de Bolsonaro a alguém que se tornou um espinho jornalístico ao seu lado”, diz o jornalista, lembrando da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que proibiu que Greenwald fosse processado.

Declarações
No texto, O jornalista da Columbia Journalism Review lista ainda uma série de declarações de órgãos estadunidenses contra a denúncia do procurador brasileiro.

Entre elas, Ingram destaca o editorial do jornal The New York Times, que diz que o governo Bolsonaro “atira no mensageiro”. “Em um editorial sobre o caso, o New York Times disse que a denúncia do governo brasileiro contra Greenwald é “um caso cada vez mais familiar de atirar no mensageiro e ignorar a mensagem”, e uma perigosa ameaça ao Estado de Direito. O jornal também disse que, embora Trump não tenha prejudicado as liberdades de imprensa nos EUA, “seus ataques ultrajantes a repórteres … incentivaram pessoas como Bolsonaro”.

Leia o artigo na íntegra (em inglês)

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum