Fórumcast, o podcast da Fórum
11 de julho de 2019, 07h18

Globo descumpre decisão judicial e barra entrada de jornalista demitida por síndrome de Burnout

Izabella Camargo foi atendida na calçada da Rede Globo ao levar decisão judicial que exigia sua recontratação. Jornalista foi demitida por desenvolver doença por excesso de trabalho

Izabella Camargo (Foto: Reprodução Rede Globo)

A jornalista Izabella Camargo, que teve decisão judicial em seu favor após a Rede Globo demiti-la depois de retornar de licença por desenvolver síndrome de Burnout, foi barrada na porta da empresa nesta quarta-feira (10) quando tentava recontratação, determinada judicialmente.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Segundo o portal F5, da Folha, Camargo não foi bem recebida ao levar ordem judicial para a empresa. “Eu estive na emissora. Fui atendida do lado de fora, na calçada”, declarou. A jornalista não deu maiores informações sobre o processo pelo fato dele tramitar em segredo de Justiça.

A recontratação de Camargo foi determinada pelo juiz José Aguiar Linhares Lima Neto, da 24ª Vara do Trabalho, que considerou em sentença que a OMS (Organização Mundial de Saúde) considera a síndrome como doença relacionada ao trabalho, tornando a demissão nula.

A síndrome de Burnout (do inglês burn, queima; e out, exterior) é o desgaste emocional que danifica aspectos físicos e psíquicos da pessoa, reduzindo a naturalidade e a velocidade com que ela realiza suas tarefas. “Fiz muitas terapias alternativas, psicólogas, cuidando de dentro e de fora. Muita respiração e meditação. Além de tomar café, energético, procurei um endocrinologista e comecei a tomar remédio para me dar mais energia. Não me orgulho disso porque foi a pior coisa que eu fiz. Eu ultrapassei o meu limite para dar conta do que eu não tinha controle. Extrapolei o meu limite”, revelou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum