Entrevista exclusiva com Lula
02 de outubro de 2018, 17h48

Repórter da Rádio Bandeirantes é agredida durante manifestação pró-Bolsonaro

A jornalista Ana Nery foi agredida verbalmente e levou uma cabeçada de um manifestante durante o ato pró-Bolsonaro no último domingo (30) na avenida Paulista, em São Paulo; Abraji divulgou nota de repúdio às agressões encampadas por apoiadores do militar da reserva e à passividade da polícia

Ato pró-Bolsonaro na avenida Paulista (Reprodução/Twitter)

A jornalista Ana Nery, repórter da Rádio Bandeirantes, de São Paulo, foi agredida física e verbalmente por um manifestante durante o ato pró-Bolsonaro no último domingo (30) na avenida Paulista.

Nery conseguiu gravar e registrar boa parte da ação do agressor e o material já foi utilizado para a abertura de um Boletim de Ocorrência.

De acordo com a jornalista, ela estava entrevistando um policial quando começou a ser xingada pelo homem. Quando anunciou que gravaria a cena para registrar uma ocorrência, o agressor teria lhe dado uma cabeçada. Na segunda-feira (1), em relato dado na própria Rádio Bandeirantes, Ana contou que não ficou ferida pois a cabeçada do homem acabou atingindo seu celular. Ela fez questão de ressaltar, ainda, que o protesto era pacífico e que aquela era uma atitude isolada.

A Polícia Militar, no entanto, de acordo com a jornalista, teria apenas “afastado” o agressor e pedido para que ele parasse.

Nota de repúdio

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou, na noite desta segunda-feira (1), uma nota em que condena os ataques de apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL) contra jornalistas e repudia a passividade policial relacionada a casos parecidos.

“A Abraji condena a agressão a Ana Nery, ponto máximo na escalada de ataques de apoiadores do candidato registrada ao longo da última semana. Como se o assédio massivo direcionado a jornalistas em redes sociais e as ameaças de violência física não fossem graves o suficiente. É lamentável, ainda, a postura passiva dos policiais militares diante da hostilidade do manifestante”, diz a nota.

Confira a íntegra.

A repórter da Rádio Bandeirantes Ana Nery foi agredida verbalmente e com uma cabeçada por um manifestante pró-Bolsonaro no domingo (30.set.2018). O ato em apoio ao candidato à presidência pelo PSL aconteceu na Avenida Paulista, em São Paulo (SP).

A jornalista entrevistava uma capitã da Polícia Militar (PM) sobre a preferência da corporação em fazer proteção apenas dos manifestantes em uma das faixas da Paulista, quando o homem se aproximou e começou a ofendê-la, aos gritos. O manifestante a acusou de “pilantra” e falou que ela era da “imprensa de merda”. Nery pegou o celular para registrar a agressão e afirmou que registraria boletim de ocorrência (BO) contra o homem, que em seguida lhe deu uma cabeçada.

Os policiais que presenciaram a cena apenas afastaram o agressor e não prestaram socorro à jornalista. Duas pessoas que estavam próximas se ofereceram para testemunhar em favor da repórter, que registrou o BO na tarde desta segunda-feira (01.out). Nery conseguiu fotografar o agressor e apresentou a imagem à polícia.

A Abraji condena a agressão a Ana Nery, ponto máximo na escalada de ataques de apoiadores do candidato registrada ao longo da última semana. Como se o assédio massivo direcionado a jornalistas em redes sociais e as ameaças de violência física não fossem graves o suficiente. É lamentável, ainda, a postura passiva dos policiais militares diante da hostilidade do manifestante.

Um país que não compreende a diferença entre crítica ao trabalho jornalístico e violência contra profissionais da imprensa coloca a democracia — e a si próprio — em grave risco.
Diretoria da Abraji, 1º de outubro de 2018.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum