Fórumcast, o podcast da Fórum
29 de março de 2018, 09h43

Revista Playboy deixa o Facebook por vazamentos e por ser “sexualmente repressiva”

A Playboy disse que a decisão ocorre depois de anos em que a publicação teve dificuldades para expressar seus valores na rede

A revista Playboy vai deixar o Facebook. Entre as razões estão as restrições da rede social a publicação de fotos contendo nudez e o vazamento de dados pessoais de usuários.

“Mais de 25 milhões de fãs se relacionam com a Playboy a partir de nossas páginas, e não queremos ser cúmplices expondo eles às práticas que vêm sendo reportadas”, disse a companhia em comunicado.

A descoberta de que informações pessoais de 50 milhões de usuários do Facebook foram acessadas pela consultoria Cambridge Analytica colocou a rede no centro de uma crise mundial. Leia aqui matéria do pesquisador e professor Sérgio Amadeu sobre o assunto.

Os dados teriam sido usados para ajudar a eleger o republicano Donald Trump na campanha eleitoral de 2016, permitindo o envio de propaganda personalizada para os eleitores de acordo com seus perfis.

DIFICULDADES

A Playboy disse que a decisão ocorre depois de anos em que a publicação teve dificuldades para expressar seus valores na rede.

Cooper Hefner, diretor de criação da revista e filho do fundador, Hugh Hefner, usou o Twitter para criticar publicamente o Facebook, chamando a empresa de sexualmente repressiva.

Segundo ele, a rede contraria os valores da publicação, tanto nas regras que definem o conteúdo aceito como também em suas políticas corporativas.

“As diretrizes de conteúdo e políticas corporativas do Facebook seguem contradizendo nossos valores. Tentamos criar nossa voz na plataforma, que, em nossa opinião, continua a ser sexualmente repressiva.”

As restrições ao conteúdo da revista, somada a informação de que a rede teria permitido o uso de dados para influenciar as eleições americanas, levaram à decisão de deixar a rede, disse.

Segundo o site Nieman Lab, especializado em notícias sobre a imprensa, só serão desativadas as contas gerenciadas diretamente pela Playboy Enterprises, o que significa que a maioria das páginas da Playboy de fora dos estados Unidos poderá seguir ativa.

Com informações da Folha

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum