Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de janeiro de 2019, 20h04

Robôs em ação: Tag #FlavioPresidente está nos TT’s até da Malásia

Rede bolsonarista reagiu rápido à repercussão negativa das supostas ligações entre Flávio Bolsonaro e a milícia carioca e colocou seus 'bots' para trabalhar, a ponto de a tag #FlavioPresidente chegar aos Trending Topics do Twitter de países como Malásia, Ucrânia e Bielorrússia

Reprodução

Apoiadores da família Bolsonaro “comemoram”, nesta terça-feira (22), que a tag #FlavioPresidente chegou ao primeiro lugar dos Trending Topics do Twitter no Brasil.

A hashtag de apoio ao senador eleito veio como uma resposta à repercussão negativa das novas denúncias que apontam uma suposta ligação entre o filho de Jair Bolsonaro, a milícia carioca e suspeitos de envolvimento no assassinato de Marielle Franco. A repercussão rendeu a tag #FlavioBolsonaroNaCadeia, que dominou as discussões nas redes sociais durante boa parte do período da tarde, até ser superada pela hashtag de apoio ao parlamentar.

A explosão do apoio a Flavio Bolsonaro nas redes sociais, mesmo após todo o desgaste que vem sofrendo nas últimas semanas com as movimentações financeiras suspeitas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz, no entanto, não é espontânea. Uma rápida análise do uso da hashtag #FlavioPresidente mostra que os chamados bots – robôs, em português – continuam sendo utilizados pela rede bolsonarista para pautar assuntos na internet.

Para se ter uma ideia, a tag #FlavioPresidente está nos TTs não só do Brasil, mas de países como Malásia, Ucrânia e Bielorrússia – lugares onde, naturalmente, não há tantos fãs de Flávio Bolsonaro assim.

Veja também:  Indicado por Flávio Bolsonaro à PGR mente sobre apoio de Fux e Toffoli

Isso se explica com o uso dos robôs, que são, na verdade, perfis falsos controlados por computadores. Eles são  programados para compartilhar, interagir e fazer volume de forma automatizada e pode utilizar servidores de diferentes países.

Reprodução/Twitter

O uso desses bots não é novidade na rede bolsonarista. Um levantamento divulgado em setembro, ainda durante a campanha presidencial, apontou que cerca de 33% dos perfis que seguiam o então candidato Jair Bolsonaro eram falsos e controlados por computadores.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum