Fórum Educação
21 de Maio de 2020, 10h54

Abatido, Bolsonaro pede congelamento de salário de servidores a governadores

Medida, que segundo o presidente foi discutida largamente, atinge o servidor público da União, dos estados e municípios

Foto: Reprodução

Em reunião com governadores, nesta quinta-feira (21), com a participação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ), solicitou que, atrelado ao auxílio a estados e municípios de R$ 60 bilhões, sejam congelados os salários do funcionalismo público da União, dos estados e municípios.

“O governo tem que trabalhar em conjunto na sanção de um projeto que é uma continuidade de outras leis de há pouco aprovadas, de um auxílio, um socorro aos senhores governadores, de aproximadamente R$ 60 bilhões, também extensivo a prefeitos”, afirmou.

Bolsonaro disse que é preciso “buscar maneiras de, ao restringirmos alguma coisa, até 31 de dezembro do ano que vem, e isso tem a ver com o servidor público da União, dos estados e municípios, nós possamos vencer esta crise”, disse.

Mais adiante, o presidente foi mais claro, e falou da necessidade “da cota de sacrifício pelos servidores, pela proposta que tá aqui, é não ter reajuste até dezembro do ano que vem. Ao longo dessas últimas semanas, foi discutido, foi conversado o que que o servidor poderia colaborar neste momento crítico que a nação se encontra”.

Ao final, Bolsonaro lembrou que “tiveram as mais variadas propostas, como por exemplo, uma redução de 25% dos salários. Em comum acordo com os poderes, nós chegamos à conclusão de que congelando a remuneração, os proventos também, dos servidores, até o final do ano que vem, esse peso seria menor, mas de extrema importância pra todos nós. É bom para o servidor, pois o remédio é o menos amargo. Mas é de extrema importância para os 210 milhões de habitantes”, encerrou.

O clima, ao final da reunião, foi ameno. Todos os governadores que fizeram uso da palavra concordaram com o presidente, inclusive o de São Paulo, João Doria (PSDB), que fez uma fala respeitosa encerrando a conferência.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum