Acordo judicial suspende aulas presenciais em Guarulhos

A retomada deve acontecer somente após a imunização dos profissionais de educação

Um acordo judicial conseguido pelo Sinpro Guarulhos e pela Apeoesp com a Prefeitura de Guarulhos (SP) irá suspender as aulas presenciais no município e garantir a realização de aulas remotas até o fim do mês de maio, quando os profissionais de educação já devem estar vacinados.

Durante a audiência realizada nesta quarta-feira (28), ficou definido que a Prefeitura irá antecipar o recesso escolar da rede pública para o mês de maio e que o ensino será integralmente remoto na rede pública e privada até o dia 30 de maio.

Ficou decidido também que “a princípio, o retorno das aulas presenciais fica agendado para o dia 31/05/2021, devendo ocorrer com os profissionais de edução já imunizados com a vacina contra o Covid-19”. No entanto, será realizada uma nova audiência no dia 26 para averiguar se a situação social e sanitária permite a retomada.

“O Sinpro Guarulhos, assim como a Apeoesp, questionaram judicialmente a retomada das aulas presenciais quando a pandemia se mostra ainda fora de controle e com índices de ocupação de leitos e mortalidade extremamente preocupantes. Esse questionamento se deve à preocupação dos docentes com a preservação da saúde e da vida, assim como com a propagação do vírus em ambiente escolar que pode afetar toda a comunidade e retardar o combate e controle da pandemia”, afirmam as entidades em nota.

Além dos representantes dos sindicatos, participaram da audiência a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Saúde.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR