Após ataque de Eduardo Bolsonaro, Embaixada da China recebe ameaças e reforça segurança

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, também relatou ameaças a sua "segurança pessoal", mas logo apagou a publicação

Depois que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse nas redes sociais que o Partido Comunista Chinês é o responsável pela disseminação do coronavírus pelo mundo, a embaixada da China em Brasília passou a receber diversas ameaças por telefone.

De acordo com a coluna de Bela Megale, no jornal O Globo, as ameaças começaram por volta das 11h desta quarta-feira (18), quandp um interlocutor perguntou à recepcionista da embaixada quem pagaria seus boletos.

Fontes da embaixada também relataram à coluna que já foi pedido reforço na segurança do local. Em breve, também deverá ser iniciada uma investigação policial do caso. Todos os números identificados estão sendo anotados. 

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, também foi às redes sociais informar que recebeu ameaças, mas depois apagou a mensagem. “Eu recebi um telefonema de ameaça sobre a minha segurança pessoal. Não é a primeira vez. Vamos ver o que vai acontecer hoje, bem preparados para tudo”, dizia a publicação.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.