“As digitais do governo estão impregnadas nas mortes da pandemia”, diz Contarato na CPI

O senador afirmou, ainda, que o governo trocou as vacinas, que significam a vida, por cloroquina, que representa a morte: “Estão fazendo a população brasileira de cobaia”

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) fez duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro, durante o depoimento do ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, na CPI do Genocídio, nesta quarta-feira (5).

Ele responsabilizou não só o presidente, mas todos que não respeitam as determinações da ciência em relação às medidas de combate à pandemia do coronavírus.

“Estou estarrecido, inclusive, com o depoimento de alguns senadores, que, para tentar defender o governo, acabam com a ciência, minimizando o uso da hidroxicloroquina. Daqui a pouco vamos discutir se a Terra é plana. As digitais do governo estão impregnadas nas mortes da pandemia. Muitas mortes eram evitáveis”, declarou Contarato.

O senador afirmou, ainda, que o governo trocou as vacinas, que significam a vida, por cloroquina, que representa a morte. “Estão fazendo a população brasileira de cobaia”, destacou, ainda, pedindo que todos na CPI respeitassem a ciência.

Reunião

Em seguida, Contarato repetiu o pedido de outros senadores para que o ex-ministro da Saúde fornecesse mais detalhes sobre a reunião do dia 23 de abril de 2020, que tratou de um protocolo para estender a utilização da cloroquina no combate à Covid-19.

Evasivo, conforme foi durante seu depoimento, Teich disse apenas: “O presidente do CFM (Conselho Nacional de Medicina) veio com o documento e colocou ao presidente que faria estender a autorização do uso desse medicamento, dependendo do médico que estivesse atendendo ao caso. Foi apenas isso. Depois, a reunião acabou”, afirmou, sem convencer.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.