Casos de coronavírus entre povos yanomami crescem 250% em três meses

Vírus chegou a 23 das 37 regiões da terra indígena em Roraima e Amazonas

O número de casos de Covid-19 confirmados na Terra Indígena Yanomami em Roraima e no Amazonas cresceu 250% em três meses, segundo relatório publicado nesta quinta-feira (19) pelo Fórum de Lideranças da TIY e pela Rede Pró-Yanomami e Ye’kwanaum.

O levantamento mostra que os casos confirmados foram de 335 para 1,2 mil entre agosto e outubro, atingindo 23 das 37 regiões da terra indígena. Com isso, um em cada três indígenas do território já se infectaram com o vírus.

A Terra Indígena Yanomami abriga cerca de 26,7 mil membros, espalhados por 331 aldeias – incluindo aldeias isoladas, as mais vulneráveis à doença.

De acordo com reportagem da BBC Brasil, lideranças indígenas afirmam que o baixo número de testes feitos pela Secretaria de Saúde indígena faz com que o número de contaminados seja ainda maior.

Por conta do avanço do vírus em territórios indígenas, o Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a determinar no meio do ano que o governo federal adote medidas para proteger os povos originários do país. A decisão ocorreu após um pedido da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), em conjunto com seis partidos.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.