CBN desmente fake news de Bolsonaro sobre desabastecimento na Ceasa de Belo Horizonte

"A reportagem da CBN foi à CEASA de BH e constatou que não há desabastecimento, ao contrário do vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro", afirmou Milton Jung, apresentador da CBN

Pouco mais de uma hora depois que Jair Bolsonaro publicou um vídeo criando clima de terror com um apoiador afirmando havia desabastecimento no Ceasa de Belo Horizonte, o apresentador da CBN, Milton Jung, afirmou em seu Twitter que a reportagem da rádio foi até o local e constatou que tratava-se de mais uma fake news do presidente.

Leia também
Com vídeo nas redes, Bolsonaro cria clima de terror e volta a atacar governadores
Desmentido, Bolsonaro apaga fake news sobre desabastecimento na Ceasa de BH

“A reportagem da CBN foi a CEASA de BH e constatou que não há desabastecimento, ao contrário do vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta manhã, no Twitter e no Facebook, usado para criticar restrições de governadores e prefeitos”, tuitou Jung, que apresenta o Jornal da CBN.

De acordo com reportagem de Bruno Bohnenberger, da CBN, que esteve no local,  as atividades estão normais e não existe risco de falta de produtos. A direção ressaltou ainda que não há risco de desabastecimento na cidade, nem no estado, pelo contrário: há, inclusive, produtos em excesso por causa da baixa procura em meio à pandemia do novo coronavírus. Alguns comerciantes relatam melhora nas vendas.

Às 7h35 desta quarta-feira (31), menos de 12 horas após um pronunciamento em tom mais conciliador, Bolsonaro foi às redes sociais e criou um clima de terror ao divulgar um vídeo em que um apoiador diz estar no Ceasa de Belo Horizonte, em Minas Gerais, e aponta risco de desabastecimento, culpando governadores.

“Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados”, escreveu Bolsonaro ao compartilhar o vídeo.

Após ser desmentido, Bolsonaro apagou o tuíte do Facebook e Twitter, onde havia publicado.

Atualizada às 11h43 do dia 1º de abril, com a informação de que Bolsonaro apagou a publicação

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.