Com alta nas internações por Covid, Rio Grande do Sul amplia toque de recolher

Restrição vai passar a valer das 20h às 5h a partir desta terça-feira (23); bandeira preta, a de mais alto risco, alcança maior número de regiões na pandemia

O governo do Rio Grande do Sul vai ampliar em duas horas o toque de recolher vigente no estado a partir desta terça-feira (23). A suspensão de atividades não essenciais e de circulação de pessoas nas ruas, que já valia das 22h às 5h desde a última sexta-feira (19), vai começar mais cedo, às 20h.

A decisão foi tomada por causa do agravamento da pandemia no estado e anunciada nesta segunda-feira (22). O governador Eduardo Leite (PSDB) disse, em transmissão, que o estado passa pelo “mais acelerado e agressivo crescimento de internações desde o início da pandemia”.

Devem estar fechados, sem público ou clientes, os estabelecimentos de atendimento ao público de qualquer natureza. Também estão suspensos, nesse período, reuniões, eventos, aglomerações e circulação de pessoas tanto em áreas internas quanto externas, em ambientes públicos ou privados.

As exceções ficam para farmácias, hospitais e clínicas médicas, serviços funerários, serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro, assistência social e atendimento à população vulnerável. Também ficam de fora das restrições hotéis e similares, postos de combustíveis e estabelecimentos dedicados à alimentação e hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, estabelecimentos que funcionem em modalidade exclusiva de tele-entrega e Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa). A suspensão geral também não atinge atividades industriais noturnas.

Bandeiras

O estado adota um sistema de bandeiras para definir quais atividades podem funcionar ou não, de acordo com o risco de esgotamento da rede hospitalar. A mais grave é a preta, definida como risco altíssimo.

E, neste período, a 42ª semana, ela foi decretada na maior quantidade de regiões desde o início da pandemia: 11 (veja mapa). Isso significa que 68,4% da população gaúcha está em áreas em situação de risco altíssimo para esgotamento da estrutura hospitalar e velocidade de propagação de coronavírus.

As outras dez regiões do estado ficaram na bandeira vermelha, de risco alto. A nova classificação vale da 0h desta terça (23) às 23h59 do dia 1º de março.

Mas, independentemente da região, o toque de recolher valerá para todo o estado. As normas de cada bandeira estarão em vigor para o período das 5h às 20h.

Ensino presencial na bandeira preta

O governo do Estado acatou pedido dos prefeitos para a manutenção das aulas presenciais na bandeira preta para a educação infantil e os 1º e 2º anos do ensino fundamental. Isso foi feito considerando a dificuldade dos pais por não ter com quem deixar os filhos quando saem para trabalhar. Além disso, foi citada a dificuldade de efetiva alfabetização das crianças em aulas virtuais.

Para os demais níveis de ensino, as atividades presenciais seguem proibidas em regiões com bandeira preta.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR