O que o brasileiro pensa?
03 de julho de 2020, 14h38

Coronavírus: Apesar do aumento de casos e mortes, SP vai reabrir restaurantes, bares e salões de beleza

Na cidade do Rio de Janeiro, a medida não deu certo, pois bares ficaram lotados e a maioria das pessoas não usava máscara de proteção

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O número de casos e mortes provocados pela Covid-19 não para de crescer em São Paulo. Apesar disso, foi anunciada, nesta sexta-feira (3), a reabertura de restaurantes, bares e salões de beleza. A medida entra em vigor a partir de segunda-feira (6).

A capital paulista avançou no “Plano São Paulo” de flexibilização no dia 26 de junho, mas o prefeito Bruno Covas (PSDB) seguiu a orientação do comitê de contingência da Covid-19 e resolveu esperar os resultados desta semana para ter certeza que a cidade seguiria na zona amarela (fase 3).

Na cidade do Rio de Janeiro, que também registra aumento de casos e mortes causados pelo coronavírus, a medida não deu certo. Bares no bairro do Leblon ficaram lotados na noite desta quinta-feira (2) e a maioria das pessoas não usava máscara de proteção.

O perfil da prefeitura do Rio no Twitter amanheceu, nesta sexta-feira (3), lotado de críticas. Internautas reclamaram do decreto do prefeito Marcelo Crivella, que flexibilizou a reabertura dos bares, apesar do aumento de casos, tanto na cidade quanto no país.

Na cidade de São Paulo, os restaurantes e bares devem seguir medidas de segurança, que incluem triagem rápida e diária dos funcionários, seis horas de funcionamento, podendo ficar abertos somente até 17 horas, além de redução de 40% da capacidade máxima do estabelecimento.

Os salões de beleza, por sua vez, também, devem abrir as portas apenas com 40% da capacidade total e funcionar por seis horas, com obrigatoriedade do uso de máscara.

Teatros, cinemas e academias

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta (3) a antecipação da autorização de reabertura de teatros, cinemas, salas de espetáculo, academias e a realização de eventos culturais para regiões que estejam na zona amarela (fase 3) do “Plano São Paulo”.

Serão permitidos somente eventos com público sentado. Além disso, a reabertura deve ocorrer quando a região apresentar estabilidade de quatro semanas na zona amarela.

O governo de São Paulo estabeleceu algumas restrições que deverão ser seguidas para reabertura: ocupação máxima de 40%; uso de máscara obrigatório; venda de ingressos exclusivamente online; assentos marcados, respeitando o distanciamento social; alimentos e bebidas não poderão ser consumidos nos estabelecimentos; adoção de protocolos específicos; eventos deverão controlar o acesso e o número de pessoas, observando a lotação máxima; funcionamento de até seis horas por dia.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum