Criolo se manifesta pela primeira vez após a morte da irmã por covid

A professora Cleane Gomes, de 39 anos, morreu em consequência da covid no último sábado

O cantor Criolo, 45, se manifestou pela primeira vez, nesta quinta-feira (10) em suas redes sociais desde a morte da irmã, a professora Cleane Gomes, em consequência da covid, no último sábado.

Criolo postou algumas fotos de infância da irmã, que deixou uma filha de 12 anos, e escreveu: “Toda a nação que virar as costas para a educação terá como destino fúnebre a lápide de seus filhos”.

Cleane Gomes, professora municipal de São Paulo, artista circense e irmã do rapper Criolo, morreu em decorrência da covid-19 no último sábado (5), aos 39 anos.

De acordo com o Sindsep (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo), ela lecionava no CapsArts (Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú).

A poetisa Maria Vilani, lamentou a morte da filha em sua conta do Instagram e disse que sempre sonhou em ser mãe de uma menina. Ela é mãe de Kleber (o Criolo), Clayton, Cleon e, depois, de Maria Aparecida.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.