Doria confirma que “100% do estado de São Paulo vai voltar à fase amarela” do isolamento social

Um dia após Bruno Covas (PSDB) vencer o segundo turno das eleições para a prefeitura de São Paulo, Doria anunciou a retomada das medidas restritivas

Em entrevista coletiva no início da tarde desta segunda-feira (30), um dia após Bruno Covas (PSDB) vencer o segundo turno das eleições para a prefeitura de São Paulo, o governador João Doria (PSDB) confirmou o retorno de todo o estado de São Paulo para a fase amarela do plano de isolamento contra propagação do coronavírus. A medida vale a partir da próxima quarta-feira (2).

“Com o claro aumento da instabilidade da pandemia, o governo do Estado de São Paulo e o gabinete de gestão do coronavírus decidiram que 100% do estado de São Paulo vai voltar à fase amarela do plano SP”, anunciou Doria.

O governador, no entanto, afirmou que não fechará o comércio e que o plano de volta às aulas continua valendo.

“Essa medida não fecha comércio, bares e restaurantes, mas é mais restritiva. Essa alteração não altera a volta às aulas e as escolas não serão fechadas”, afirmou.

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, disse que a regressão da fase verde para a amarela deve indicar à população que é necessário redobrar os cuidados. E mencionou festas, com maior ou menor número de pessoas, como responsáveis pelo aumento da transmissão do coronavírus.

“As atividades noturnas, festas, confraternizações, às vezes com um número muito grande de pessoas, outras vezes nem tão elevado, mas não respeitando as regras de distanciamento”, descreveu. Para apontar, na sequência: “Vale a pena insistir nesse ponto, porque ele tem um dos motivos bastante significativos para que a gente aumente a transmissão da doença”.

Comemoração e contrassenso

Tendo em vista esse aspecto das confraternizações, Doria foi confrontado ao fato de ter ido à comemoração da vitória de Covas na véspera, em uma sala fechada, com muitas pessoas, e no dia seguinte aumentar as restrições.

O governador foi questionado se esse não seria um mau exemplo e, diante disso, como fazer a população seguir as medidas.

Publicidade

Mas o tucano negou que fosse uma celebração da vitória, embora tudo desse sentido de comemoração, inclusive seu discurso, falando da “vitória” do PSDB nas eleições. “Não fui participar de comemoração ou celebração, era uma coletiva de imprensa”, afirmou.

Cidades mais críticas

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, disse que a evolução de internações e casos de coronavírus em 62 municípios foi um dos principais motivos para a regressão de fase.

Publicidade

Essas cidades têm mais de 70 mil habitantes e estão com ocupação média de 75% ou mais nos leitos ou aumento de internações de mais de 10%. Segundo Vinholi, haverá uma reunião com os dirigentes dessas cidades nesta terça-feira (1º) para mobilizá-las para tentar reduzir as transmissões e reforçar medidas de cuidado.

Entre os municípios, estão Guarulhos, Franco da Rocha, São Carlos, Araraquara, Sorocaba, São José dos Campos, Mogi das Cruzes, Marília, Americana, Araras, Itatiba, Ubatuba, Caraguatatuba, Ourinhos, Lins e Jaboticabal. Mas a lista não inclui a capital. Os municípios estão listados na figura abaixo:

Leia também

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR