Em colapso, Rondônia transfere pacientes de Covid para outros estados

Segundo o governador Marcos Rocha, o ministro Eduardo Pazuello se comprometeu a realizar a transferência

No mesmo dia em que o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), afirmar que a capital de Rondônia vivia um colapso sanitário, o governador do estado, coronel Marcos Rocha (Sem Partido, ex-PSL), anunciou que o pacientes com Covid-19 em fila de UTI serão transferidos para hospitais federais de outras unidades da federação.

“Nós mandamos o documento [para o Ministério da Saúde], todo trabalho está sendo desenvolvido para que isso aconteça [transferência] e para que nós possamos salvar vidas”, disse o governador em transmissão ao vivo realizada na noite de sábado (23).

Segundo o governo de Rondônia, o ministro Pazuello prometeu realizar a remoção de pacientes que estão na lista de espera de UTI e outros necessitados para hospitais federais existentes no Brasil. Aeronaves do exército foram colocadas à disposição.

O estado convive com a falta de profissionais de saúde, o que fez o governador a fazer um apelo: “Por favor, venha ajudar os rondonienses e nosso Estado para dar continuidade aos atendimentos. Temos leitos e estão faltando os senhores para poder ajudar os demais integrantes da equipe de saúde”.

Em entrevista coletiva, o prefeito de Porto Velho comparou a situação da cidade com a se Manaus. “Hoje, todo mundo está acompanhando o que está acontecendo em Manaus. Estamos muito perto de viver aqui, na nossa cidade, de Porto Velho, e no nosso estado de Rondônia, uma tragédia humanitária”, disse Hildon Chaves.

Após o colapso de Manaus, que chegou a ficar sem oxigênio para atender seus pacientes e registou ao menos 51 mortes em decorrência disso, outras cidades do Amazonas e do Pará passam pelo mesmo drama.

Com informações do G1 e da Assessoria do Governo de Rondônia

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR