“Estão praticando eutanásia em Manaus”, diz presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas; veja vídeo

"Autoridades tomem consciência da gravidade da situação. Uma situação de medicina de guerra, onde profissionais estão admitindo que estão tendo que fazer procedimentos para abreviar a vida das pessoas", diz Mário Vianna em vídeo

Em vídeo divulgado nas redes sociais na madrugada desta terça-feira (26), Mário Vianna, presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), diz que profissionais de Manaus estão “praticando eutanásia”, para reduzir a dor das centenas de mortes pela Covid-19 que estão sendo contabilizadas diariamente nas unidades de atendimento na cidade.

Notícias relacionadas

“Enquanto eu estou gravando esse vídeo, naquela televisão ali atrás, onde estou de plantão, acabou de passar uma reportagem onde uma médica declara claramente, emocionada, que estão praticando eutanásia em Manaus. Se isso não for o fim do mundo, eu não sei o que será o fim do mundo”, diz Vianna.

Emocionado, o médico faz, então, um apelo a Jair Bolsonaro. “Eu quero aqui implorar ao presidente Bolsonaro que ele faça alguma coisa imediatamente. Não é mais possível se ver o governo federal aturar essa situação. Eu espero que alguma atitude forte seja tomada”.

Vianna chega a citar uma possível intervenção na saúde do Estado “para evitar que mais pessoas morram e que haja uma convulsão da sociedade amazonense”.

“Autoridades tomem consciência da gravidade da situação. Uma situação de medicina de guerra, onde profissionais estão admitindo que estão tendo que fazer procedimentos para abreviar a vida das pessoas”, finaliza.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR