Ex-secretário do Amazonas diz que comunicou governo Bolsonaro sobre crise em 31 de dezembro

Investigação da CPI do Genocídio aponta que governo soube da escassez de respiradores um mês antes da crise em Manaus

O ex-secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, revelou à CPI do Genocídio, nesta terça-feira (15), que o governo do estado enviou um ofício ao governo Bolsonaro no dia 31 de dezembro de 2020 relatando a situação crítica da saúde no Amazonas. Segundo ele, o documento foi enviado ao Ministério da Saúde com pedido de apoio da Força Nacional de Saúde.

Apenas no dia 4 de janeiro de 2021, o Amazonas recebeu uma visita da secretária Mayra Pinheiro, conhecida como Capitã Cloroquina. “No dia 4 de janeiro recebemos a secretária Mayra Pinheiro. Na primeira reunião, sua assessoria convocou a presença do Conselho de Medicina, Conselho de Enfermagem, sindicatos, autoridades da área médica, especialistas, etc”, comentou o ex-secretário.

Campêlo destacou que o posicionamento de Mayra no estado foi de defesa do chamado “tratamento precoce”, com uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra Covid-19.

“Vimos uma ênfase da doutora Mayra em relação ao tratamento precoce e disponibilização de um novo sistema que poderia ser utilizado e que seria apresentado oportunamente”, continuou, referindo-se ao TrateCov.

“A viagem da doutora Mayra se deu mais com ênfase na atenção primária, ou seja, as reuniões eram mais para trabalhar com as prefeituras e a de Manaus, naquela época, tinha acabado de assumir com muitas dificuldades – faltavam medicamentos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS)”, completou.

Falta de respiradores

A investigação da CPI do Genocídio já aponta evidências de que o governo federal foi notificado com antecedência sobre a crise no Amazonas, mas ignorou os alertas e demorou a prestar apoio no estado.

Em documento enviado pelo próprio Ministério da Saúde à CPI, segundo o UOL, há a informação de que, a partir de 18 de dezembro de 2020, o Amazonas solicitou 140 respiradores. O arquivo não cita se houve respostas da pasta dentro do prazo solicitado pelo documento.

Publicidade
Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR