Farmacêutica brasileira pede à Anvisa uso emergencial da vacina Sputnik no Brasil

União Química já comprou 10 milhões de doses da vacina russa e, caso a Anvisa autorize, imunizante poderá ser distribuído no Brasil

A farmacêutica brasileira União Química e o Fundo Russo para Investimento Direto protocolaram na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na noite desta sexta-feira (15), um pedido para autorização de uso emergencial da vacina russa Sputnik V no Brasil.

Na quarta-feira (14), a farmacêutica já havia anunciado um acordo que prevê a chegada de 10 milhões de doses do imunizante contra a Covid-19 no Brasil até março.

Além das doses importadas, a ideia, inicialmente, era produzir as vacinas na unidade da União Química no Distrito Federal e exportar para países da América Latina que já registraram a Sputnik V, como Argentina e Bolívia. 

Com o pedido de autorização para uso emergencial, no entanto, o objetivo agora é distribuir o imunizante também no Brasil.

Leia também: Entenda a diferença entre as vacinas Coronavac, AstraZeneca, Pfizer, Moderna e Sputnik

O argumento da farmacêutica e do Fundo Russo, ao pedirem a autorização à Anvisa, é que a Sputnik já está sendo aplicada em outros países com segurança e que foi aprovada e certificada por agências locais. O imunizante já possui registro emergencial em Argentina, Argélia, Bolívia, Palestina, Sérvia e Venezuela.

Até o momento, estão sob análise para uso emergencial da Anvisa a Coronavac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e o imunizante produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a britânica AstraZeneca e Universidade de Oxford. A autorização ou desautorização se dará através de votação dos cinco diretores colegiados da agência marcada para domingo (17).

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR