O que o brasileiro pensa?
25 de março de 2020, 21h42

Jornal Nacional faz edição de 1h30, quase toda contra Bolsonaro

Telejornal da Globo dedicou praticamente toda sua edição desta quarta-feira para convencer a população de que Bolsonaro está errado na forma como lida com a pandemia

O apresentador William Bonner - Foto: Reprodução/TV Globo

Enquanto a população batia panelas contra Jair Bolsonaro e Lula fazia uma live sugerindo impeachment ou afastamento do presidente, o Jornal Nacional, da Globo, dedicava praticamente toda sua edição desta quarta-feira (25) para refutar a declaração do capitão da reserva defendendo o fim do isolamento social. A edição teve, ao todo, 1 hora e 30 minutos de duração – muito maior que as edições padrão, que não costumam a passar de uma hora.

Praticamente todo o segundo bloco do telejornal foi usado para convencer a população de que Bolsonaro está errado ao defender que as pessoas voltem às ruas e o comércio reabra – orientação que vai contra todas as recomendações de especialistas do Brasil e do mundo para frear a pandemia do novo coronavírus.

Para isso, o JN repercutiu a reação de governadores criticando Bolsonaro, além de entidades, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e personalidades políticas, como Fernando Henrique Cardoso.

Na sequência, o telejornal exibiu entrevistas com inúmeros especialistas, todos eles refutando a fala de Bolsonaro feita em cadeia nacional. Eles pediram para que as pessoas façam exatamente o contrário do solicitado pelo presidente: isto é, para que mantenham o isolamento ficando em casa, pois essa, segundo eles, é a maneira mais efetiva de achatar a curva de disseminação do novo coronavírus. Entre os especialistas que falaram ao jornal estão Clóvis Arns da Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia; o infectologista Marco Aurélio Safadi; Alexandre Oliveira, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia; Álvaro Furtado, infectologista do Hospital das Clínicas, em São Paulo; e Marcos Machado, do Conselho Regional de Farmácia.

Além das entrevistas, o JN repercutiu com destaque as reações de entidades como a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que classificou Bolsonaro como um “inimigo da saúde do povo”.

“A atitude de Bolsonaro se opõe frontalmente à posição de especialistas do próprio Ministério da Saúde dele”, destacou o âncora William Bonner.

Na sequência, o jornalístico passou a falar de economia, também entrevistando especialistas, mas reforçando que a crise econômica não deve ser colocada acima das recomendações de combate ao vírus.

O JN também refutou a tese de Bolsonaro de que ele não seria acometido pelo coronavírus pois tem histórico de “ex-atleta”. “Mas atletas tem um recado para a população”, disse o âncora William Bonner antes de exibir uma reportagem sobre esportistas que foram infectados e que sofreram com os sintomas do coronavírus.

Como exemplo, o jornal citou o caso do ex-nadador sul-afriano Cameron van der Burgh, que foi infectado, e deu destaque à fala do atleta de que esse foi o pior vírus que ele enfrentou. “Apesar de ser jovem e saudável”, enfatizou a repórter.

“Não adianta dizer que foi atleta. Isso não é uma poupança que você guarda. O que vale é sua imunidade de hoje”, disse um médico do esporte entrevistado pelo telejornal.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum