O que o brasileiro pensa?
22 de março de 2020, 17h35

Mãe garante que seus dois filhos, de 2 e 4 anos, testaram positivo para o coronavírus

Ela relatou que as crianças fizeram a contraprova e ela o exame. "No começo, me ligavam de meia em meia hora. Agora não ligam mais”, afirma

Foto: reprodução

Por Glauco Braga, para o Folha Santista

A Cidade de São Vicente tem 12 casos suspeitos de coronavírus e duas crianças (2 e 4 anos) que testaram positivo para o vírus. A mãe diz já estar com todos os sintomas da doença, fez o teste e espera o resultado.

A história da contaminação dos dois irmãos teria relação com a escola que estudam em São Vicente. Segundo a mãe, “teve uma festa no dia 15 de março, que meu filho não foi, pois era aniversário da irmã, e a mãe do aniversariante à noite, mandou uma mensagem dizendo que era para ter cuidado quem teve contato com o filho dele, pois a sogra estava com sintomas do Coronavírus e o resutado sairia na segunda-feira seguinte, dia 16.

“Questionei tudo e essa mãe falou que a sogra tinha vindo de fora (Itália), mas como não apresentou sintomas não deixou de ter contato com as pessoas, inclusive, com o neto, mas que não era nada, só uma falta de ar…”.

Tossindo muito, a mãe ainda disse que ficou muito irritada, pois é o primeiro ano da filha da escola, em razões dos problemas de saúde dela. “Fomos na Santa Casa de Santos e nos atenderam muito bem lá. Não questionaram nada e até aí eles estavam com uma gripe. Mandaram ficar de olho na minha filha, pelos problemas que ela tem”.

Ela relatou que as crianças fizeram a contraprova e ela o exame. “No começo, me ligavam de meia em meia hora. Agora não ligam mais. Como tenho o oxigênio em casa por causa da doença da minha filha, não precisamos ficar internados”.

A mãe disse que a orientação que receberam é ficar em casa e não sair. “Quando chegamos no hospital usamos as máscaras, mas não tivemos nenhum retorno da vigilância sanitária. Meu filho estava bem, minha filha, não. E eu com dor de cabeça”.

A desconfiança do laudo
Ela diz ter ficado intrigada, pois não recebeu nenhum papel para retirada dos resultados. “Chamei ontem para saber o resultado. No Crei pediram para aguardar, pois disseram que o pessoal da Vigilância Sanitária não trabalha no final de semana e só estariam lá na segunda”. Ela recebeu um print com o resultado de um dos filhos. “Percebi que eles escolhem o que vão divulgar. Eles me disseram que enquanto não tiver o resultado da contraprova não é considerado positivo. A médica da minha filha disse que nesse exame não existe falso positivo. É que nem exame de gravidez. Estamos perdidos. Ninguém sabe de nada. Sei de outras crianças da escola dele que estão na UTI com a doença e ninguém fala nada”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum