Mais 543 mortes por Covid-19 são registradas no Brasil

Enquanto mais de 20 mil novos casos de infecção pelo coronavírus são registradas no país, Bolsonaro promove nova aglomeração no litoral paulista

Quando o Brasil alcançou 100 mil mortes pelo novo coronavírus, em 8 de agosto do ano passado, a ONG Rio de Paz fez um ato com cruzes na praia de Copacabana (zona sul do Rio) em memória daqueles que haviam partido. Quase cinco meses depois, o país se aproxima do dobro daquele total de vidas perdidas.

No boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta segunda-feira (4), 543 novas mortes devido à Covid-19 foram registradas, elevando para 196.561 o total de vidas perdidas para a doença.

Além disso, o documento mostra que mais 20.006 diagnósticos positivos foram registrados, o que resulta em 7.753.752 infecções por Sars-Cov-2 confirmadas no país.

Os dados dão conta ainda de que 6.875.230 pacientes se recuperaram da doença e outros 681.961 estão em acompanhamento atualmente.

No entanto, enquanto o surto não dá mostras de arrefecer, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) continua a promover aglomerações de simpatizantes. A última foi nesta segunda-feira (4), ao se despedir do litoral paulista, onde passou o Réveillon.

O presidente resolveu fazer um passeio na praia do Canto do Forte, em Praia Grande. Como sempre, estava sem máscara. Por cerca de meia hora, Bolsonaro abraçou, tirou fotos com apoiadores e segurou cães de banhistas,  ignorando os protocolos sanitários.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR