Médicos brasileiros que integram Brigada agradecem apoio da Venezuela a Manaus

O senador Telmário Mota se juntou ao grupo na fronteira e defendeu a integração latino-americana

Os médicos brasileiros que compõem a Brigada médica Simón Bolívar, enviada pela Venezuela ao Brasil junto a ajuda humanitária enviada ao estado do Amazonas divulgaram vídeos nesta segunda-feira (18) agradecendo a solidariedade do governo de Nicolás Maduro.

A Venezuela se mobilizou diante do colapso do sistema de saúde de Manaus provocado pela Covid-19. A capital do Amazonas chegou a ficar sem oxigênio na quinta-feira. O país vizinho doou 130 mil litros de oxigênio e garantiu 107 médicos.

O presidente da Associação dos Médicos Brasileiros Formados no Exterior (AMBFEX) foi um dos que esteve presente na fronteira.

“Estamos aqui na fronteira com a Venezuela recebendo a doação do país vizinho de mais de 130 mil litros de oxigênio doados através do governo Nicolás Maduro. Nós, da AMBFEX, estamos aqui na condição de Brigada Simón Bolívar para receber essa comissão e seguir viagem com destino a Manaus para salvar vidas”, disse.

“Estamos aqui juntos contra o Covid-19 e com a única finalidade de salvar vidas”, completou.

Outros médicos brasileiros também gravaram vídeo de agradecimento. Em um deles aparece o senador Telmário Mota (PROS-RR). “O que nós queremos na América Latina é integração. A Venezuela é um país irmão”, declarou.

Assista:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR