O que o brasileiro pensa?
30 de julho de 2020, 15h04

Ministério da Saúde apaga dados de quarta-feira da plataforma do coronavírus

Com a modificação, o portal Coronavírus Brasil exibe um número de vítimas fatais inferior aos 90 mil apontados pelos secretarias de saúde

General Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde - Foto: Marcos Corrêa/PR

A plataforma Coronavírus Brasil, mantida pelo Ministério da Saúde com o objetivo de manter a população informada sobre a situação da pandemia voltou a sofrer com alterações em seus dados.

No painel não aparecem as informações relativas à atualização de 18h da quarta-feira (29), que mostrou um recorde no registro de mortes em 24h: 1.595. Os números foram inflados pelo atraso nos dados de São Paulo de terça-feira, o que provocou uma subida nos índices diários, mas manteve estável a média de sete dias.

Com a derrubada dos dados, o sistema registra agora 88.539 óbitos e 2.483.191 casos confirmados. Na quinta-feira, mostravam-se 90.134 vítimas fatais e 2.553.265 infectados. O site mostra que houve uma atualização às 19h30, mais de uma hora após os dados consolidados de quarta serem revelados.

Apesar da plataforma do Ministério da Saúde apresentar dados inferiores aos totalizados pelas secretarias, o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) mantém um portal – Covid Radar – que acompanha a situação e mostra 90.169 óbitos no país e 2.552.265 casos confirmados.

O levantamento do consórcio dos veículos de imprensa das 13h registra 90.383 mortes e 2.566.765 infectados.

Desde a chegada do ministro interino Eduardo Pazuello, a Saúde tem sofridos críticas quanto ao acesso à informação. A pasta chegou a retirar a contagem total de dados da plataforma, mas voltou atrás após forte pressão.

Pazuello também pretendia promover uma mudança da metodologia da contagem diária, contrariando o que tem sido feito internacionalmente, mas foi demovido da ideia.

Reprodução

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum