Mourão diz que Bolsonaro não muda: “Não adianta. Ele tem 65 anos”

"Acho que está havendo uma falta de coordenação das ações no final", declarou sobre a crise entre os governadores e Bolsonaro

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, 66, comentou em entrevista para a Folha, publicada neste domingo (29), as atitudes do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) em relação à crise do coronavírus. Para Mourão, Bolsonaro não muda. “Não estou aqui para dizer: ‘Presidente, muda seu jeito de ser’. Não adianta. Ele tem 65 anos”.

Mourão considera também que é hora de as autoridades deixarem o individualismo de lado no combate ao coronavírus no Brasil e defende um consenso frente à pandemia.

“O fulano está pensando só nisso porque é de direita e o outro só aquilo porque é de esquerda. Não, nós temos de buscar um meio-termo e a igualdade”, disse.

“Acho que está havendo uma falta de coordenação das ações no final”, declarou sobre a crise entre os governadores e Bolsonaro.

Sobre a decisão de Bolsonaro de não mostrar o exame negativo para o vírus, respondeu: “Acho que tem de confiar na palavra do presidente. Seria o pior dos mundos o presidente chegar e declarar que testou e deu negativo e depois aparecer que deu positivo”.

Já sobre Bolsonaro chamar a Covid-19 de “gripezinha”, o vice-presidente afirmou que “ele [o vírus] é sério. O presidente, quando fala de gripezinha, é o linguajar dele. Busca passar certo grau de confiança para a população. Aí a turma fica com raiva e quer pular na jugular dele”.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.