O que o brasileiro pensa?
18 de maio de 2020, 07h25

“Nada do que está acontecendo é surpresa para o governo”, diz Mandetta sobre mortes por Covid-19

Ex-ministro afirma que país viveu apenas 1/3 da crise e que Bolsonaro foi avisado de surto de óbitos. De acordo com ele, uso generalizado de cloroquina pode aumentar mortes em casa

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (Agência Brasil)

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, demitido do governo de Jair Bolsonaro por defender medidas contrárias às do presidente em relação ao coronavírus, diz que o governo foi avisado sobre o números de casos e mortes no país desde o início da crise. Ou seja, o ex-capitão já sabia da gravidade dos impactos da pandemia e, mesmo assim, insistiu em defender medidas contrárias às dos especialistas.

“Ele [Bolsonaro] claramente entendia que a crise econômica advinda da saúde era inaceitável, por mais que alertássemos que era uma doença muito séria e que o número de casos poderia surpreender”, afirma o ex-ministro, em entrevista à Folha de S.Paulo.

“Nunca falei e nem vou falar quais, mas tínhamos nos nossos estudos cenários de número de casos e óbitos. Nada do que está acontecendo hoje é surpresa para o governo federal”, continua.

Com relação à insistência de Bolsonaro no uso da cloroquina, Mandetta diz que prescrição generalizada do medicamento poderá aumentar número de mortes em casa.

“Começaram a testar [a cloroquina] pelos graves que estão nos hospitais. Do que sei dos estudos que me informaram, e não concluíram, 33% dos pacientes que estavam em hospital, monitorados com eletrocardiograma contínuo, tiveram que suspender a cloroquina porque deu arritmia que poderia levar a parada. Esse número assustou, é alto”, comenta.

Para ele, Bolsonaro não tem respaldo científico ao defender o medicamento.”Ninguém colocou no papel, ninguém demonstrou. A [médica Nise] Yamaguchi é uma que, quando você pergunta ‘onde está escrito isso?’, fala: ‘é a minha impressão’”, critica o ex-ministro.

“O Donald Trump [presidente dos EUA] defendeu a cloroquina, mas voltou atrás e parou. Nos EUA, isso gera processo contra o Estado. Aqui no Brasil não, se morrer, morreu”, lamenta.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum