Novo recorde da Covid: “gripezinha” de Bolsonaro mata mais 3.650 brasileiros em 24 horas

País caminha a passos largos para atingir a marca macabra de 4 mil mortos por dia em decorrência da Covid; dados do Ceará não foram contabilizados

Na última quarta-feira (24) fez exatamente 1 ano que o presidente Jair Bolsonaro chamou a Covid-19, pela primeira vez, de “gripezinha”. Nesta sexta-feira (26), a “gripezinha” do titular do Planalto bateu novo recorde e matou 3.650 brasileiros nas últimas 24 horas. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass).

Trata-se da segunda vez que o país bate os 3 mil mortos em um só dia. O número real, no entanto, deve ser ainda maior, já que os dados do Ceará não foram contabilizados por problemas técnicos.

Com os novos óbitos, o Brasil chega a 307.112 mortes e decorrência da doença do coronavírus desde o início da pandemia.

De ontem para hoje, foram também registradas 84.245 novas infecções, totalizando 12.404.414 casos confirmados desde março do ano passado.

Nesta quinta-feira (25), durante sua live semanal, Bolsonaro, que vem tentando mudar seu discurso negacionista, voltou a pregar contra o isolamento social, principal medida para evitar o avanço da pandemia enquanto não há vacinação em massa, e sair em defesa do “tratamento precoce”, que além de não ter eficácia contra a Covid pode provocar problemas sérios e até mesmo levar à morte.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR