quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

OMS afirma que cumprimento com o braço também é perigoso e sugere “mão no coração”

Diretor da organização diz que saudação não respeita o distanciamento social de 1,5 metros, por isso deve ser evitada

Para evitar o contato entre mãos e rosto, e assim diminuir os riscos de contaminação pelo coronavírus, o cumprimento com cotovelos se tornou um gesto comum na pandemia. No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda evitá-lo e propõe uma nova forma de saudação: levar a mão no coração e respeitar os 1,5 metros de distanciamento social.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, já havia alertado sobre os perigos da saudação com cotovelos no início da pandemia, mas a mensagem viralizou novamente depois que ele compartilhou um comentário publicado pela economista espanhola Diana Ortega nas redes sociais, no qual ela recomenda evitar o contato entre braços.

“A OMS desaconselha a saudação com o cotovelo: o melhor é colocar a mão no coração. Diretor da OMS @DrTedros, rejeite esta saudação porque a distância de segurança não é mantida e o vírus pode ser transmitido através da pele”, escreveu no Twitter.

Para o diretor-geral, o melhor é levar a mão no coração ao cumprimentar alguém durante a pandemia. O comentário foi feito no Twitter, em março deste ano. “É melhor evitar os cotovelos, porque nos colocam a menos de um metro de distância da outra pessoa. O melhor é colocarmos a mão no coração”, disse Tedros.

Outros especialistas também já se pronunciaram sobre a questão da cotovelada. Carlos Fuente Lafuente, diretor do Centro de Treino de Protocolos do ISEMCO, faculdade em Madrid, afirmou que “o toque de cotovelo que temos visto tanto, na minha opinião, é uma saudação de mau gosto, anti-higiênica, que não cumpre as normas sobre o distanciamento social”.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.