Ouvidoria do MP recebe mais de 1,1 mil denúncias de fura-fila da vacina no país

Enquanto cidades paralisam imunização por falta de doses, pessoas fora das condições prioritárias conseguem garantir sua dose; veja como denunciar

A Ouvidoria Nacional do Ministério Público recebeu, até a última quarta-feira (17), 1.106 denúncias de fura-filas na vacinação contra Covid-19 em todo o país. São pessoas que, mesmo fora dos grupos prioritários que estão sendo imunizados, conseguiram garantir sua dose. Os dados começaram a ser contabilizados em 27 de janeiro.

Enquanto isso, várias cidades pelo país tiveram que paralisar a imunização por falta de doses.

A região Sudeste lidera as manifestações. Das 1.106 denúncias, 655 se referem aos quatro estados da região (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo), o que corresponde a 59% do total.

E São Paulo é a unidade da Federação com o maior número de manifestações: 470, ou seja, 42% do total de casos recebidos pela Ouvidoria Nacional do MP.

Na Região Nordeste, foram 186 informações, das quais 78 estão relacionadas ao estado da Bahia.

Em relação à Região Sul, foram 119 manifestações, sendo 53 do Rio Grande do Sul. Do Centro-Oeste, a Ouvidoria Nacional do MP recebeu 56 casos; quase a metade, 26, é do estado de Goiás. E, na Região Norte, foram 51. Desse total, 23 se referem ao estado do Amazonas, que passa por colapso hospitalar e explosão no número de casos de Covid-19.

 “Infelizmente, temos visto diariamente na mídia diversas denúncias dando conta de pessoas que não fazem parte do grupo prioritário estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização que estariam ‘furando a fila’, sendo vacinadas em diversos locais do país”, disse o ouvidor nacional do Ministério Público, Oswaldo D’Albuquerque, em nota da entidade sobre o levantamento.

O ouvidor afirmou que essa conduta é um crime tipificado no artigo 268 do Código Penal, cuja pena varia de um mês a um ano de detenção, além de, dependendo da situação, poder caracterizar improbidade administrativa.

Publicidade

D’Albuquerque disse que as denúncias recebidas serão encaminhadas aos Ministérios Públicos estaduais para que sejam averiguadas e tomadas as providências cabíveis.

Como denunciar

Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia sobre casos de “fura-filas” na vacinação.

Publicidade

Ela pode ser realizada pelo WhatsApp (61 3366-9229), pelo e-mail [email protected], por mensagem direta nos perfis do CNMP nas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter), ou de formulário eletrônico disponível na página da ONMP.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR