Pazuello promete incluir professores no plano de imunização e garante “vacina na veia todos os dias”

Em reunião com a Frente Nacional de Prefeitos, ministro da Saúde anunciou que em 15 dias o Brasil estará produzindo vacinas, o que dispensaria a reserva da segunda dose para os pacientes já imunizados na primeira etapa

Em reunião com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prometeu acolher até março um pedido dos mandatáros municipais para inclusão de profissionais de ensino no Plano Nacional de Imunização e garantiu que “em 15 dias” o Brasil estará produzindo vacinas – hoje importadas de laboratórios da China e da Índia.

“Em termos de 15 dias vamos estar produzindo a pleno. E produzindo a pleno é vacina na veia todos os dias”, afirmou o ministro ao ser indagado pelo prefeiro de Salvador, Bruno Reis (DEM), os motivos do governo barrar a compra de vacinas diretamente pelos estados e municípios junto aos países produtores.

“Faço um apelo, não queremos disputar com o governo federal, mas seria importante permitir que estados e municípios pudessem comprar para garantir a imunização”, disse o prefeito da capital baiana, relatando que teve a compra barrada na Índia, porque a embaixada colocou óbice.

Segunda dose
De acordo com o mininstro, a partir de agora, com a produção no Brasil, não haverá mais reserva de vacinas para garantir a segunda dose aplicação do imunizante nos paciente que já tomaram a primeira.

“A partir do dia 23, com a chegada de 4,7 milhões de novas vacinas, a imunização será em 4,7 milhões de brasileiros, não a metade, como estava acontecendo até então. A justificativa é que a pasta tem garantia de produção das doses”, afirmou a FNP no Twitter.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.