Pfizer confirma que governo Bolsonaro rejeitou 70 milhões de doses de vacina contra Covid-19

Laboratório diz que proposta inicial previa entrega do imunizante já em dezembro de 2020

A farmacêutica Pfizer confirmou ao jornal Folha de S.Paulo que o governo de Jair Bolsonaro rejeitou ofertas de vacinas contra Covid-19. Com isso, o país deixou de receber 70 milhões de doses do imunizante.

Ao todo, o laboratório fez três propostas ao governo brasileiro. A proposta inicial encaminhada em 15 de agosto previa a entrega de doses já em dezembro de 2020. Contudo, por conta de um acordo de confidencialidade firmado com o Ministério da Saúde, a empresa não poderia comentar detalhes da negociação.

Além disso, do total de doses prometidas, 3 milhões estavam previstas até fevereiro. A quantidade equivale a cerca de 20% das doses já distribuídas no país até agora.

Sem resposta do governo, a Pfizer foi aumentando a oferta inicial de vacinas ao Brasil. Quatro dias depois da primeira proposta, o laboratório elevou de 500 mil para 1,5 milhão o número de doses para entrega em 2020, com possibilidade de mais 1,5 milhão até fevereiro de 2021 e o restante nos meses seguintes.

Com o passar do tempo, segundo a Folha de S.Paulo, governos de outros países foram tomando o lugar do Brasil. Agora, o Ministério da Saúde anunciou que prepara novos contratos com Pfizer, Janssen e Moderna para importar 151 milhões de doses entre maio e dezembro de 2021.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR