Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
26 de março de 2020, 13h30

Polícia argentina já deteve mais de 2 mil pessoas que tentam fugir da quarentena

Grande parte dos casos são de motoristas, por isso, a ministra de Segurança pediu ao presidente Fernández que endureça as medidas para limitar a circulação de veículos

Policiais argentinos pedem documentos de motorista que circula durante a quarentena (foto: agência Télam)

Em entrevista à imprensa local, ministra de Segurança da Argentina, Sabina Frederic, informou nesta quarta-feira (25) que mais de 2 mil pessoas foram detidas pelas forças de segurança do país tentando fugir da quarentena obrigatória. Esses números correspondem aos casos registrados nas duas últimas semanas.

A ministra também afirmou que cerca de 41 mil pessoas foram flagradas fora de suas casas, e notificadas por policiais nas ruas. Esses casos não se consideram violações, segundo ela, quando a pessoa acata a ordem e retorna à sua casa, acompanhada pelo policial.

Entre os detidos estão pessoas que tentaram evadir a recomendação policial, e segundo a ministra Frederic, grande parte dos casos são de pessoas que utilizavam veículos motorizados. Segundo dados do seu ministério, mais de 106 foram identificados nas ruas, dos quais ao menos 600 eram de pessoas sem permissão para circular durante a quarentena – profissionais da saúde e outros setores específicos contam com essa permissão especial.

Por essa razão, a ministra diz que solicitou ao presidente Alberto Fernández um endurecimento da quarentena, especificamente com respeito às medidas para limitar a circulação de veículos. “Conversamos (ela e Fernández) sobre algumas novas medidas a respeito dos veículos particulares, sobre tudo em alguns setores específicos da capital e da Grande Buenos Aires, onde mais temos casos desse tipo”, explicou Frederic.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum