Polícia fecha loja da Havan em Santa Catarina por descumprimento de quarentena

A PM havia autorizado a loja a vender chocolates devido à aproximação da Páscoa, considerando que o serviço se encaixaria como de alimentação. Porém, os outros setores da loja funcionavam normalmente, sem restrições de circulação. Havia, inclusive, venda irregular de roupas.

Uma loja da rede Havan, do empresário bolsonarista Luciano Hang, foi fechada neste sábado (4) pela Polícia Militar, em Santa Catarina, por funcionar normalmente em meio à pandemia de Covid-19. No estado, só podem funcionar serviços essenciais de saúde, segurança, alimentação e energia, para evitar a disseminação do coronavírus.

Segundo o portal UOL, a PM havia autorizado a loja a vender chocolates devido à aproximação da Páscoa, considerando que o serviço se encaixaria como de alimentação. Porém, os outros setores da loja funcionavam normalmente, sem restrições de circulação. Havia, inclusive, venda irregular de roupas.

O gerente da Havan responsável pela região teria informado à PM que estava orientando os clientes sobre os setores autorizados, mas, chegando no local, a polícia verificou irregularidades.

A loja fica em em Porto Belo, no Litoral Norte do estado, a cerca de 67 quilômetros da capital, Florianópolis.

Estabelecimentos que, segundo a Classificação Nacional das Atividades Econômicas (CNAE), estejam dentro do critério de alimentação, estão autorizados a funcionar. “A autorização e as regras se aplicam, também, ao comércio de chocolates. Os estabelecimentos devem estabelecer restrição para a entrada de metade da capacidade de público para evitar aglomerações e preservar um distanciamento entre as pessoas de ao menos 1,5 metro”, informou o governo de Santa Catarina em nota.

A assessoria de imprensa da Havan afirmou que o departamento jurídico da loja “ainda não tem nenhum posicionamento sobre o ocorrido”.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR