Primeira criança vacinada contra a Covid é um indígena xavante de 8 anos

Davi Seremramiwe Xavante, do Mato Grosso, está em São Paulo para tratamento médico e recebeu a dose infantil em cerimônia simbólica do governo do estado; saiba quando começa a vacinação de crianças nas capitais

Davi Seremramiwe Xavante, indígena de 8 anos do Mato Grosso, foi a primeira criança do país a ser vacinada contra a Covid-19. O garoto recebeu a dose pediátrica da Pfizer em uma cerimônia simbólica realizada pelo governo de São Paulo nesta sexta-feira (14), no Hospital das Clínicas, na capital paulista.

Davi vive há 1 ano em Piracicaba (SP), sob os cuidados de uma tutora, para um tratamento médico. Ele sofre de um problema genético e tem dificuldades para andar. Antes de se mudar definitivamente, seu pai, o cacique Xavante Jurandir Seremramiwe, vinha periodicamente à capital paulista para acompanhar o filho no tratamento médico.

“Agradeço a compreensão, visibilidade e diálogo com a questão indígena no estado de SP. Que sejam tomadas as vacinas para os guaranis que moram no litoral. Nós temos que tomar a vacina e não esquecer o uso da máscara, o distanciamento. Com certeza a nova geração estará segura quando as aulas voltarem. Elas estarão com saúde e brincando”, disse o cacique, que participou da cerimônia de forma virtual.

Além do indígena, outras crianças foram vacinadas no evento, conduzido pelo governador do estado, João Doria (PSDB). O início oficial da imunização infantil na capital paulista, assim como em outras cidades do estado, no entanto, será a partir da próxima segunda-feira (17), nos postos de saúde.

Outras capitais, a partir da chegada do primeiro lote de vacinas pediátricas da Pfizer, também fizeram cerimônias simbólicas de imunização de crianças de 5 a 11 anos nesta sexta-feira (14). Em Recife (PE), por exemplo, a primeira criança a receber a dose foi Maria Antônia, de 11 anos, que tem síndrome de Down. O evento foi realizado na se da na Associação Afeto.

Vacinação infantil: como vai funcionar

Segundo o governo federal, crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente ou com comorbidades devem ser as primeiras a serem vacinadas, seguidas de crianças indígenas e quilombolas.

Depois, crianças que vivam em lar com pessoas com alto risco para evolução grave da Covid-19 e, em seguida, aquelas sem comorbidade, em ordem decrescente de idade: primeiro, as de 10 e 11 anos; depois, as de 8 e 9 anos; em seguida, as de 6 e 7 anos; e, por último, as crianças de 5 anos.

Os Estados, no entanto, têm autonomia para decidir como será feita a ordem. O secretário da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou nesta segunda-feira (10), por exemplo, que a vacinação de crianças será por faixa etária e não por comorbidades.

Publicidade

O intervalo das doses será de oito semanas – aproximadamente dois meses.

Da mesma forma que os adultos, a imunização ocorrerá em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e postos de aplicação da vacina contra a Covid-19. Alguns Estados discutem oferecer a vacinação infantil em escolas estaduais e/ou municipais, mas a proposta ainda não foi definida. Segundo recomendação do Ministério da Saúde, a vacinação em postos drive-thru deverá ser evitada.

Publicidade

Notícias relacionadas

Confira as datas já anunciadas de início da vacinação infantil nas capitais

  • Porto Alegre: 19 de janeiro
  • Florianópolis: 15 de janeiro
  • São Paulo: 17 de janeiro
  • Rio de Janeiro: 17 de janeiro
  • Belo Horizonte: 16 de janeiro
  • Brasília: 16 de janeiro
  • Goiânia: 17 de janeiro
  • Campo Grande: 15 de janeiro
  • Salvador: 14 de janeiro
  • João Pessoa: 16 de janeiro
  • Porto Velho: 17 de janeiro
  • Rio Branco: 14 de janeiro

*Matéria em atualização

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_