Queiroga culpa comportamento da população e, indiretamente, o de Jair Bolsonaro pelo agravamento da pandemia

“Se a população estivesse usando máscaras, mantendo o distanciamento, se tivesse um programa de testagem mais adequado, podem ter certeza que não estaríamos vivendo o momento que estamos vivendo hoje", disparou o ministro da Saúde

Em reunião virtual com integrantes da Confederação Nacional de Municípios (CNM), na noite desta segunda-feira (19), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, culpou o comportamento da população e, indiretamente, o do presidente Jair Bolsonaro pelo agravamento da pandemia do coronavírus no Brasil.

Isso porque o ministro afirmou que se a população tivesse adotado os protocolos contra o contágio do vírus, a situação seria diferente. Ele não mencionou, entretanto, que Bolsonaro, desde o início da crise, incentiva aglomerações e recorrentemente aparece sem usar máscara de proteção.

“Se a população estivesse usando máscaras, mantendo o distanciamento, evitando aglomerações, se tivesse um programa de testagem mais adequado, isolamento dos casos positivos e dos seus contactantes, se fizéssemos a disciplina dos transportes urbanos, e para o funcionamento dos setores estratégicos, os senhores podem ter certeza que não estaríamos vivendo o momento que estamos vivendo hoje”, disparou, praticamente listando tudo o que seu chefe, Bolsonaro, não fez.

Leia também: Sem máscara, Bolsonaro é impedido por vendedora de entrar em barraca de frango: “Pode não”; assista ao vídeo

Na mesma reunião, Queiroga ainda adiantou que o Ministério da Saúde iniciará uma nova campanha incentivando o uso de máscaras. Ele pontuou, contudo, que isso não será feito “na base da lei”, sinalizando uma postura contrária aos decretos municipais e estaduais que tornam obrigatório o uso da proteção.

“Sobre o uso de máscaras, é necessário dizer o esforço que eu tenho feito. Desde o primeiro dia tenho recomendado o uso de máscaras, como também as outras medidas, mas entendo que não é na base da lei que a gente vai resolver isso. O governo, por meio do Ministério da Saúde, vai fazer uma orientação geral”, declarou.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR