RJ, Ceará e Maranhão podem ter segunda onda de coronavírus, diz Fiocruz

Relatório indica tendência de aumento de casos da síndrome respiratória aguda grave (SRAG), associada à Covid-19

O novo boletim divulgado pela Infogripe, na última quinta-feira (30), alerta para a possibilidade de uma segunda onda do coronavírus no Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão. O sistema, organizado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), observa a ocorrência de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no Brasil.

Segundo o relatório, o pico da pandemia nos três estados foi registrado em meados de maio. Desde então, os casos de SRAG caíram continuamente. Porém, na última quinzena de julho, as ocorrências voltaram a aumentar, trazendo preocupações quanto à possibilidade de uma segunda onda de Covid-19.

O boletim contradiz o discurso do secretário estadual de Saúde do RJ, Alex Bousquet, que havia anunciado a proposta de fechar todos os hospitais de campanha até o próximo dia 12, alegando “queda confiável” nos casos.

No caso do Brasil, como um todo, o relatório registra um “platô”, mas que não indica tranquilidade. Segundo o pesquisador e coordenador do Infogripe, Marcelo Gomes, a tendência é de aumento, e estima-se que o número de novos casos semanais pode estar acima do primeiro pico, em maio. “Não estamos numa situação tranquila”, diz Gomes.

Avatar de Gabriella Sales

Gabriella Sales

Estudante de Jornalismo na ECA-USP e estagiária da Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR