Fórum Educação
03 de abril de 2020, 07h57

Saiba quem é a professora que pediu “Exército na rua” e fim do isolamento em vídeo de Bolsonaro

A mulher é empresária, dá aulas de caligrafia e participou de atos convocados pelo presidente para fechamento do Congresso e do STF

Fátima Montenegro (Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo em suas redes sociais nesta quinta-feira (2) que mostra o pedido de uma professora pelo fim do isolamento social em meio à pandemia do coronavírus. Além de militante bolsonarista, a mulher em questão é empresária e dá aulas de caligrafia.

Fátima Montenegro é dona da empresa Caligrafia ABZ, que ensina caligrafia técnica para adultos e crianças. Em postagem no Facebook, Fátima faz propaganda de seu serviço e escorrega nos erros gramaticais: “2a fase da OAB, cocurso, vestibular, estudantes, satisfação pessoal…. Seja qual for o seu objetivo. Aprenda escrever, com quem, realmente, entende. Curso com a Prof Fátima Montenegro”.

A empresária também participou dos atos do dia 15 de março convocados por Bolsonaro para fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Em uma das fotos, Fátima aparece segurando uma faixa que diz: “Câmara, Senado, STF e a grande imprensa estão contra o Brasil”.

As redes sociais da empresária mostram uma pessoa ativa nos atos bolsonaristas. Em vídeo publicado em janeiro deste ano, Fátima aparece ao lado de colegas bolsonaristas durante um ato em Brasília e diz que vai protestar em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Estamos aqui neste evento maravilhoso, nesse momento histórico. Morra de inveja, resistência, petralhas. Vão para a casa do chapéu. Estamos felizes e vamos para o STJ, quer dizer, STF! Daqui a pouco”, diz, ao confundir os tribunais.

No vídeo compartilhado por Bolsonaro, a professora diz estar passando necessidade junto aos filhos por conta do isolamento social. Ela pede ao presidente para colocar o “Exército na rua” e abrir o comércio.

“É difícil para o senhor porque só tem gente para derrubar. Mas, o senhor tem o povo e eu faço parte dele. Eu tô aqui pedindo: põe o Exército na rua, presidente, abra esse comércio. Sou professora e não estou podendo dar aula”, diz a mulher, diante de um Bolsonaro estático em sua frente.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum