Fórum Educação
10 de abril de 2020, 15h52

Se auxílio emergencial não for sacado em 90 dias, governo vai pegar de volta

Dispositivo presente em decreto publicado por Bolsonaro é criticado pela Rede Brasileira de Renda Básica

Reprodução

O decreto nº 10.316, publicado pelo presidente Jair Bolsonaro na quarta-feira (7) com o objetivo de regulamentar o pagamento do auxílio emergencial aprovado no Congresso Nacional, apresenta um trecho que gerou críticas em defensores da renda básica.

Nos artigos 10 e 11 do texto, o presidente dispõe que “o período de validade da parcela do auxílio emergencial será de noventa dias, contado a partir da disponibilidade da parcela do auxílio” e que “os recursos não sacados das poupanças sociais digitais abertas e não movimentadas no prazo de noventa dias retornarão para a União”.

Dessa maneira, os recursos disponibilizados pelo Governo Federal – que vão de R$ 600 a R$ 1200 – só poderão ser movimentados até junho. Se isso não ocorrer, o valor volta para os cofres da União.

Para a Rede Brasileira de Renda Básica, essa determinação não deveria existir e é prejudicial principalmente para pessoas que possuem problemas na conta, complicações para acessar o banco por meios digitais ou dificuldades no deslocamento até agências.

“Esse recurso deveria ficar disponível pelo tempo que for necessário. Isso prejudica, por exemplo, pessoas que perderem o cartão, têm problemas para usar a conta digital ou ficam longe dos locais onde podem sacar o beneficio”, disse Leandro Ferreira, presidente do grupo, em entrevista a Alessandra Azevedo, do Correio Braziliense.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum