Fórum Educação
03 de abril de 2020, 09h55

The Economist ironiza Bolsonaro em charge e diz que impeachment depende das mortes por coronavírus

Revista britânica destaca boicote e negligência do presidente às orientações do Ministério da Saúde e diz que sua estratégia é mobilizar sua base de apoio

Reprodução

A revista britânica The Economist publicou uma charge nesta sexta-feira (3) ironizando o presidente Jair Bolsonaro sobre o pedido de suspensão do isolamento social no país. Na imagem, Bolsonaro aparece cercado de coronavírus em tamanho macroscópico e pede para que brasileiros saiam de casa. “Uma chuvinha não vai machucar vocês”, diz ele na charge.

A revista também publicou uma reportagem traçando um panorama de como os presidentes da América Latina têm lidado com o vírus. Ao abordar o presidente brasileiro, a revista fala sobre risco de impeachment e compara Bolsonaro com o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, citado como AMLO. Ambos são chamados de “populistas” e com estratégias contrárias ao que tem sido feito na Argentina e Chile.

A reportagem diz que Bolsonaro sabotou ativamente os esforços para controlar o vírus. “No Brasil, os governadores estaduais impuseram bloqueios, inclusive em São Paulo e no Rio de Janeiro. Essas medidas são populares. A negligência de Bolsonaro é menos”, diz o texto.

“Os moradores da cidade fizeram protestos contra o presidente. Isso levou a um contra-ataque. Bolsonaro criticou os governadores, publicou um vídeo proclamando ‘O Brasil não pode parar’ e instou os apoiadores a organizar carreatas contra quarentenas”, continuou.

Sobre o risco de impeachment, a revista diz que isso vai depender do número de mortes por coronavírus no país. “Quanto a Bolsonaro, alguns acham que suas ações merecem impeachment por ameaçar o direito constitucional à vida. Sua estratégia parece ter como objetivo sustentar sua base. Pesquisas mostram que ele mantém o apoio de um terço dos entrevistados. Isso deve ser suficiente para manter o emprego, dependendo de quantos brasileiros morram”, finaliza.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum