O que o brasileiro pensa?
13 de junho de 2020, 10h05

Um mês depois de ser citada como exemplo por Bolsonaro, cidade paraense sofre com surto de covid

Itaituba, no Pará, foi apontada como modelo pelo presidente em maio, por manter 95% do comércio aberto. Um mês depois, a cidade de 100 mil habitantes tem mais de mil casos e 35 mortes

Imagem aérea de Itaituba (foto: Agência Pará)

No dia 14 de maio, em uma de suas famosas lives, o presidente Jair Bolsonaro citou, como exemplo de enfrentamento à pandemia, a pequena cidade de Itaituba, no interior do Pará, afirmando que lá, “o prefeito (Valmir Climaco, do PMDB) permitiu o funcionamento de 95% do comércio”, e mesmo assim, mantinha 0 casos de covid-19.

Porém, assim como aconteceu no caso da Suécia, a tentativa bolsonarista de forçar um exemplo de sucesso na contenção do vírus sem distanciamento social ruiu em pouco tempo. Após exatos 30 dias, a cidade paraense, de pouco mais de 100 mil habitantes, já enfrenta problemas com o surto da doença: os infectados já são 1295, com 35 mortes.

Segundo meios de imprensa locais, a doença se espalhou na região através dos garimpos, que concentra grande parte do emprego na zona, e tem feito o surto se alastrar também pelas cidades vizinhas, como Rurópolis e Jacareacanga, que juntas têm 90 mil habitantes, e registam cerca de 300 infectados e 8 mortes.

Diante do aumento dos casos e das mortes, o oásis de Bolsonaro teve que mudar suas políticas, e a política de comercio aberto foi sendo abandonada paulatinamente. “Naquela época da live, o comércio estava totalmente aberto, nós tivemos um aumento de óbitos e aí estava prestes a decretar lockdown. Achamos por bem recomendar a redução (das atividades) para tentar controlar a circulação das pessoas”, contou o secretário municipal de Saúde de Itaituba, Adriano Coutinho, em entrevista ao UOL.

“Nosso prefeito (Valmir Climaco, do PMDB) tem muita preocupação com a questão econômica. Sempre a gente tentou conciliar a economia com a saúde. Mas o comércio nunca fechou totalmente, e foi isso que o presidente falou, elogiou o prefeito, só que não teve condições mais de manter o comércio totalmente aberto. Mesmo de forma reduzida o comércio está conseguindo trabalhar”, completou Coutinho.

Até esta sexta-feira (12), Itaituba manteve fechadas as academias de ginástica, bares, restaurantes e casas de show. O decreto municipal estabelecia que o comércio não essencial estava autorizado a funcionar até às 14h, enquanto os serviços essenciais podiam funcionar até às 17h.

Uma mudança deve ocorrer a partir deste sábado (13), permitindo uma reabertura com restrições de alguns setores, mas mantendo um toque de recolher, que começa a valer a partir das 18h – e que só permite que profissionais de saúde, de segurança e entregadores de comida e medicamentos possam circular.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum