“Vossa excelência mentiu durante todo o tempo”, diz Rogério Carvalho a Marcelo Blanco

O senador do PT afirmou ainda: “O senhor tentou dar a impressão de ter boa intenção, mas finge patriotismo e participa da tentativa de dar um golpe grotesco na administração pública”

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) foi enfático ao se dirigir ao tenente-coronel da reserva, Marcelo Blanco da Costa, durante depoimento na CPI do Genocídio, nesta quarta-feira (4). “Vossa excelência está mentindo e mentiu durante todo o tempo”, disse.

“O senhor tentou dar a impressão aqui de ter boa intenção, mas finge patriotismo e participa da tentativa de dar um golpe grotesco na administração pública. O senhor agiu na ilegalidade, porque tinha informações privilegiadas do Ministério da Saúde”, destacou o senador.

Poucos dias antes do encontro no restaurante Vasto, em Brasília, no dia 25 de fevereiro, onde supostamente foi discutido propina na compra de vacinas contra a Covid-19, Blanco alterou a inscrição da sua empresa, chamada Volare, para atividades ligadas ao mercado de saúde.

Blanco negou ter contato com parlamentares, inclusive com o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo de Jair Bolsonaro e um dos envolvidos no escândalo da compra de imunizantes.

Ao final, Carvalho disse: “Vossa excelência é um coronel do Exército, mas quis tirar vantagens de ordem pessoal”.

Nó cego

Em seguida, Omar Aziz (PSD-AM) resumiu, como presidente da CPI, sua avaliação sobre o depoimento de Blanco: “Nó cego querendo dar volta em outro nó cego”.

Na sequência, a senadora Simone Tebet (MSB-MS) destacou que a empresa de Blanco era uma “associação militar com fins lucrativos”.

Publicidade
Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR