Imprensa livre e independente
21 de outubro de 2018, 13h41

Criança negra é ameaçada por colega em PE: “Bolsonaro já ganhou e aqui não é lugar para você”

Fato ocorreu em uma escola particular de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco; filha de pedagoga sofreu com ameaças e ofensas preconceituosas

O discurso preconceituoso de Jair Bolsonaro estimula ações como a que ocorreu em uma escola de Pernambuco – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil Por Silvia Bessa, do Diário de Pernambuco Ayanna tem 10 anos. É negra. Estuda numa pequena escola particular no bairro de Candeias, Jaboatão dos Guararapes, e este ano não quis participar das comemorações do Dia das Crianças. Em casa, relatou à família que tinha vivido uma ameaça logo após a divulgação do resultado do primeiro turno. Um menino, da mesma idade, se aproximou e disse: “Ayanna, aqui não é lugar para você. Você não vai poder estudar mais...

O discurso preconceituoso de Jair Bolsonaro estimula ações como a que ocorreu em uma escola de Pernambuco – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Silvia Bessa, do Diário de Pernambuco

Ayanna tem 10 anos. É negra. Estuda numa pequena escola particular no bairro de Candeias, Jaboatão dos Guararapes, e este ano não quis participar das comemorações do Dia das Crianças. Em casa, relatou à família que tinha vivido uma ameaça logo após a divulgação do resultado do primeiro turno. Um menino, da mesma idade, se aproximou e disse: “Ayanna, aqui não é lugar para você. Você não vai poder estudar mais nesta escola porque não combina com sua cor. Sua família é negra e vocês têm que viver separados de nós. Bolsonaro já ganhou e garantiu que vai resolver essa mistura. Se seus pais vierem falar merda, a gente mete bala”.

Segundo contou a mãe, Josivânia Freitas, a filha foi vítima de uma sequência de outras frases intimidatórias e preconceituosas. Teria sido chamada de “burrinha” em ocasião anterior. E questionada: “Você estuda nesta escola por causa de bolsa?”, teria perguntado o mesmo menino a Ayanna. A menina chorou, não quis ir à escola nos dias seguintes e os pais analisam se será preciso transferir a menina da unidade educacional.

Veja também:  Governo Bolsonaro fala em guerra nas ruas se Lula for solto

“Chorei e não foi pouco. Minha filha vive no meio de uma ameaça. Tem medo de existir”, diz Josivânia, pedagoga, doutoranda em Educação Matemática e Tecnológica na UFPE, professora de pós-graduação em Psicopedagogia educacional da UniNabuco, de pós-graduação no Instituto Nacional de Ensino Superior (Inesp/Caruaru), do ensino fundamental em Jaboatão dos Guararapes e coordenadora pedagógica da Escola de Saúde do Recife (ESR). “Só penso como vai ser daqui pra frente se tivermos um representante que diz que lugar de negro é na senzala”, disse ela.

Leia matéria completa aqui

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum