Imprensa livre e independente
10 de fevereiro de 2019, 17h02

Crise: Ford deve demitir 700 trabalhadores da unidade de Camaçari (BA)

Júlio Bonfim, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, gravou um vídeo em que expressa sua revolta e dispara contra o governo de Jair Bolsonaro: "Eu avisei que com esse governo ia piorar e eu fico irado de ver trabalhador com aquela porra de camisa de Bolsonaro"

Reprodução
O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, na Bahia, informou nesta sexta-feira (9) que a Ford prepara a demissão de 700 trabalhadores da unidade na cidade nos próximos dias. Em um vídeo publicado pelo site Bahia Política, o presidente do sindicato, Júlio Bonfim, se mostrou revoltado “Vamos fazer programação de assembleias na porta da fábrica. Quem paga o pato sempre é o peão. Somos nós”. Ao explicar a situação, Bonfim associou a crise na montadora ao governo de Jair Bolsonaro. “Eu avisei que com esse governo ia piorar e eu fico irado de ver trabalhador com aquela porra de camisa de...

O Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, na Bahia, informou nesta sexta-feira (9) que a Ford prepara a demissão de 700 trabalhadores da unidade na cidade nos próximos dias.

Em um vídeo publicado pelo site Bahia Política, o presidente do sindicato, Júlio Bonfim, se mostrou revoltado “Vamos fazer programação de assembleias na porta da fábrica. Quem paga o pato sempre é o peão. Somos nós”.

Ao explicar a situação, Bonfim associou a crise na montadora ao governo de Jair Bolsonaro. “Eu avisei que com esse governo ia piorar e eu fico irado de ver trabalhador com aquela porra de camisa de Bolsonaro. O cara tá lascando com a gente!”.

Assista.

Veja também:  Os fantasmas de 2013: PEC 37

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum