Imprensa livre e independente
12 de julho de 2019, 09h46

Cubano tenta vaga de gari no Piauí, mas é recusado por atuação no Mais Médicos

"Estamos aguardando há meses por uma MP do governo que nos permita trabalhar até fazer o exame de Revalida, mas nada de MP e nada de Revalida”, disse Raymel Kessel, que ficou no Brasil após o fim da parceria com Cuba

O médico cubano Raymel Kessel (Arquivo pessoal/G1)
Reportagem de Gilcilene Araújo, no Portal G1 nesta sexta-feira (12), revela que Raymel Kessel, um dos médicos cubanos que ficou no Brasil após o fim da parceria com Cuba no Mais Médicos tentou uma vaga de gari na cidade de Ilha Grande, no Piauí, mas não foi admitido por sua formação em medicina. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo “Não é fácil achar emprego porque quando colocamos no currículo que somos médicos, ninguém quer nos contratar. Eu até procurei trabalhar no carro de lixo e não foi aceito porque...

Reportagem de Gilcilene Araújo, no Portal G1 nesta sexta-feira (12), revela que Raymel Kessel, um dos médicos cubanos que ficou no Brasil após o fim da parceria com Cuba no Mais Médicos tentou uma vaga de gari na cidade de Ilha Grande, no Piauí, mas não foi admitido por sua formação em medicina.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“Não é fácil achar emprego porque quando colocamos no currículo que somos médicos, ninguém quer nos contratar. Eu até procurei trabalhar no carro de lixo e não foi aceito porque diz que médico não faz esse tipo de trabalho”, disse o cubano, que enfrenta dificuldades para se manter após ficar no Brasil.

Raymel se casou com uma piauiense e é pai de um menino brasileiro, e por isso decidiu ficar no Brasil. “Me sinto parte da Ilha Grande, me sinto filho daqui”, afirmou o médico.

Ele aguarda realização do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida), mas o governo ainda não decidiu quando sera a prova.

Veja também:  Para Wellington Dias, Lula só sai da cadeia com mobilização na rua, e não na internet

“Estou desesperado. Não tem o exame do Revalida desde o ano 2017 e estamos privados de trabalhar como médicos há sete meses. Estamos aguardando há meses por uma MP do governo que nos permita trabalhar até fazer o exame de Revalida, mas nada de MP e nada de Revalida”, disse, ao portal G1.

Leia a reportagem completa

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum