Mario Frias foi ressarcido em R$ 1.849 com recurso público por teste de covid nos EUA

A despesa extra chega para reparar um erro: Frias não gastou apenas R$ 39,1 mil para ir até Nova York em 2021, mas sim R$ 40.999,95

Mario Frias. Foto: Reprodução YouTube
Escrito en CULTURA el

O secretário de Cultura, Mario Frias, pediu e foi ressarcido pelo erário público no valor de R$ 1.849 pela "realização de teste molecular diagnóstico para Sars-Cov-2”, mais conhecido como PCR, feito nos EUA, conforme detalhamento que consta no Portal da Transparência.

A despesa extra chega para reparar um erro. Frias não gastou apenas R$ 39,1 mil para se encontrar com o lutador de jiu-jítsu Renzo Gracie em Nova York em 2021, mas sim R$ 40.999,95.

O mesmo teste custa algo entre R$ 100 e R$ 350 em farmácias e laboratórios no Brasil. Nos aeroportos dos EUA é possível encontrar teste rápido PCR a partir de US$ 180 (R$ 945,27), PCR a partir de US$ 75 (393,86) e antígeno também a partir de US$ 75. As conversões foram feitas ao câmbio desta sexta-feira (11).

R$ 40 mil em cinco dias

Frias gastou R$ 39,1 mil em uma viagem de cinco dias para se encontrar com o lutador de jiu-jítsu Renzo Gracie em Nova York em 2021. A informação, revelada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal “O Globo”, está disponível no Portal da Transparência.

Somente para os voos de ida e volta aos Estados Unidos, Frias gastou R$ 26 mil de dinheiro público (R$ 13 mil cada trecho). Em diárias, o valor de R$ 12,8 mil. Também foi contratado um seguro de R$ 305, totalizando R$ 39,1 mil.

Com informações da coluna de Lauro Jardim