Aline Calixto lança “Pontinhos de Amor”, onde canta as histórias dos orixás para crianças

Aline traz sua visão enquanto Umbandista para contar cantando um pouco das características dos Orixás, desde suas personalidades, atributos físicos, e os elementos da natureza ligados a cada um deles

A cantora e compositora Aline Calixto aproveitou o Dia das Crianças para lançar “Pontinhos de Amor”, seu primeiro trabalho dedicado ao segmento infantil. No disco, que já está em todas as plataformas de streaming, ela convida os pequenos e grandes ouvintes a fazerem um lindo mergulho no universo mitológico dos Orixás e Entidades seres divinos e amigos espirituais, cultuados e encontrados nas religiões e cultura afro-brasileiras.

Nas 15 faixas, Aline traz sua visão enquanto Umbandista para contar cantando um pouco das características dos Orixás, desde suas personalidades, atributos físicos, e os elementos da natureza ligados a cada um deles. Nesse primeiro trabalho, ela nos apresenta 10 Orixás. As outras 4 faixas falam sobre as Entidades encontradas principalmente nos terreiros de Umbanba. “São os nossos espíritos amigos. Cheios de amor e sabedoria, que estão sempre dispostos a dividir conhecimento e nos abençoar. ” Por útimo ela traz a faixa bônus do disco, que é uma encantadora historinha chamada “Festa no Aiyê.

A musicalidade de “Pontinhos de Amor” foi construída com muito carinho e estudo. O alicerce principal foram as percussões. Essas, criadas com base nos ritmos do Candomblé de Angola, que são também amplamente executados em boa parte dos terreiros de Umbanda, se unem a melodias e “barulhinhos”, desenhados por violão, cavaquinho e teclados. Quem assina a Direção Musical é o “parceiro de sempre” da cantora, Thiago Delegado, com Produção Executiva de Joyce Cordeiro, Direção Artística da própria Aline Calixto e, no instrumental, Christiano Caldas (teclados e “barulhinhos”), Bill Lucas (percussão e coro), Thiago Delegado (violão, cavaquinho e coro), e participação especial da sambista Júlia Rocha, em “Oni Beijada”.

A primeira faixa, “Exus e Pombagiras, meus camaradinhas”, parceria com Sérgio Pererê, celebra essas entidades protetoras dos nossos caminhos, com muita alegria e amor.

Em “Saravá vovô, sarava vovó”, segunda faixa, Delegado e Aline descrevem a chegada dos Pretos e Pretas Velhas nos terreiros, com seus elementos de trabalho e a mais verdadeira premissa entoadas por essas vovós e vovôs – “… o amor é o bem maior”.

Na faixa três, a compositora convida a garotada a bailar e saltitar em “Dançando com os caboclos” em um animado samba de roda, que tem como base um ritmo conhecido como “Nagô e o outro uma variação do Congo.

“Oni Beijada” traz toda erêzada para celebrar com Cosme Damião e Doum nos terreiros. É a quarta faixa do disco, composta em parceria com Júlia Rocha que também uniu sua voz e simpatia para alegrar esse mágico encontro.

Na quinta faixa, Aline em parceria com Makely Ka, apresentam “Super Ogum”, o orixá guerreiro e grande amigo, sempre presente ao lado de seus filhos. Com o ritmo Congo, que também é a base do funk brasileiro, “Super Ogum” não vai deixar ninguém parado!

Publicidade

“Dançando com Oxossi”, sexta faixa do disco, assinada em parceria com a cantora e compositora Marina Gomes, traz o Orixá que é o rei das matas, amigo e incansável protetor da natureza. Para entrar na dança com Oxossi é só levantar os braços e balançar ao som do Agueré.

A faixa sete, saúda o orixá da justiça, “Xangô, mestre do amor”, feita em parceria com Tavinho Leoni, sambista da nova geração mineira. No ritmo conhecido como Arrebate, somos levados a mergulhar na história desse querido orixá sempre faz a justiça trazendo amor, paz e união.

Publicidade

A parceria com Tavinho continua na faixa oito “Atotô é Orixá”. Ela já começa trazendo o fragmento de um ponto bastante conhecido dos umbandistas “Atotô Obaluaê, atotô babá, atotô Obaluaê, atotô é Orixá”. E segue contando um pouco da história desse maravilhoso Orixá, que sempre vem com seu corpo coberto de palha.

Em “O dono do Arco-Íris”, nona faixa do disco, Aline conta um pouco da história desse belo e intrigante Orixá, que ora é cobra, ora é arco-iris. Utilizando as palavras do nosso percussionista Bill Lucas, “ para essa canção, lançamos mão de uma “licença rítmica” para beber da fonte do Carimbó. Já nos refrões, utilizamos o toque tradicional desse Orixá, conhecido como Batá ou Savalú.”.

“Vento Bailarino”, décima faixa do disco, traz como parceira Déa Trancoso, vem saudar Iansã, falando dos seus raios, ventos e tempestades. Na batida do Congo, celebramos e dançamos com o vento de Iansã que sopra sem parar!

A faixa 11, celebra a rainha das águas, Iemanjá, e uma parceria antiga da cantora com seu grande amigo viçosense Thyaga. Em “A rainha do mar”, apresentamos Iemanjá a sereia do mar, com seu canto doce e acolhedor.

“Ela mora na cachoeira” é a décima segunda faixa, mais uma assinada por Aline e Dea Trancoso. Trazemos a orixá Oxum e todo seu universo sereiano, permeado por cachoeiras, ouro e muito amor.

A décima terceira faixa apresenta a Orixá “vovó” Nanã. “Nanaê, Nanã” é a primeira parceria musical de Aline com Chico Alves. No refrão trazem um fragmento de ponto de Umbanda para apresentar a mais velhas das Iabás. Uma doce canção embalada pelo ritmo Congo, convida toda a gente a dançar com o balanço doce e harmonioso dessa vovozinha!

“Pombinha de Oxalá”, a última faixa cantada do disco, feita em parceria com Helder Quiroga, soa como uma cantiga de ninar, onde Oxalá o grande pai de todos nos conduz a uma noite de sono tranquila e abençoada. O iníco da música nos traz o pedacinho de um ponto, muito cantando nos terreiros de Umbanda.

A décima quinta faixa, considerada uma faixa bônus do disco, é a única não cantada. Se trata de uma historinha denominada “Festa no Aiyê”. Ela foi escrita por Pai Ricardo, Mãe Sheila, Michelli Pessoa e Gabriel Ricardo, todos pertencentes a CCPJO – Casa de Caridade Pai Jacó do Oriente, que gentilmente toparam fazer parte desse projeto. A historinha conta a descoberta de um livro por Aline. Nele um preto e uma preta velha falam sobre uma grande festa realizada pelos Orixás, na terra, em forma de agradecimento a Oxalá. No livro também são encontradas valiosas informações sobre a formação da terra e cada elemento da natureza que a compõe.

Para ouvir o trabalho lançado hoje, basta entrar nas redes da Aline Calixto:
Site: http://alinecalixto.com.br/ / Instagram: @alinecalixto/ / Canal: http://youtube.com/alinecalixtooficial

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR