Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
01 de fevereiro de 2020, 17h35

Apresentação de dança em São Paulo é acusada de fazer campanha de cunho religioso contra PC chinês

"Propaganda explícita contra o regime chinês, com conotação religiosa", disse o médico Gilmar, que assistiu à apresentação na última sexta-feira

Divulgação

O médico Gilmar Cosenza e sua esposa, Patrícia, decidiram aproveitar a noite de sexta-feira para assistir a uma apresentação da companhia Shen Yun Performing Arts, em São Paulo. O casal não aguentou nem mesmo ficar até o final do espetáculo, que trazia uma persistente crítica ao governo chinês e exibia dogmas religiosos no telão.

“Supunha que eram artistas chineses em excursão. Eram, mas, radicados em Nova York, fundaram a companhia de artes cênicas Shen Yun”, relatou Gilmar à Fórum.

Segundo ele, as coisas já começaram “estranhas” quando tentaram comprar uma cerveja na lanchonete da casa de shows e tiveram a informação de que a companhia proibia a comercialização de alcoólicos. A exigência já dava um sinal do tom religioso da apresentação.

“Pra resumir: propaganda explícita contra o regime chinês, com conotação religiosa”, classificou Gilmar, citando uma frase que estava presente no telão: “o ateísmo e o evolucionismo são cânceres para nossa vida”.

Ele ainda destaca outros dois fatores que chamaram a atenção: “A insistência, beirando a inconveniência para não se tirar fotos fotos ou filmagens mesmo antes de começar a apresentação. A presença de inúmeros americanos aparentemente mórmons (ou coisa parecida)”. “Ficamos boquiabertos e saímos antes do final”, concluiu.

Na página oficial da companhia, há uma seção dedicada especialmente para criticar o Partido Comunista Chinês (PCCh). O grupo, formado por praticantes do Falun Dafa – movimento condenado pelo PCCh -, afirma que o governo da China o persegue por “ser oficialmente um regime ateu” e temer “a liberdade de expressão que a nossa companhia de artes desfruta no Ocidente”.

O grupo foi destaque de reportagem do The Guardian em 2017, contando sobre a relação conturbada que possui com o governo da China.

Em 2012, a embaixada da China nos Estados Unidos publicou um texto com “fatos sobre a chamada apresentação “Shen Yun” do “Falun Gong” criticando o grupo e a doutrina.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum