terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

Armando Lôbo relança “Alegria dos Homens”, álbum de 2002 que encantou a crítica

O álbum Alegria dos Homens, do artista pernambucano Armando Lôbo, foi lançado no final de 2002, e arrancou, na época, vários elogios da crítica especializada em todo o país. Repleto de inovações, estranhezas e referências ao Barroco, o trabalho implodia categorias, apontando novos caminhos para a canção brasileira.

Foto: Reprodução

Seu autor buscava provocar a mesmice bem-comportada da MPB da época, com intensa polifonia e carga dramática, arranjos complexos e enorme variedade de ritmos e temas que, poeticamente, investigavam a alegria trágica do povo brasileiro.

Co-produzido por Armando Lôbo e o músico paulistano Maurício Pereira, Alegria dos Homens era até então o único CD do músico pernambucano que ainda não estava distribuído nas plataformas digitais. O álbum é agora lançado digitalmente após reedição, remixagem e masterização, seguindo padrões de streaming.  Além disso, ganhou uma capa nova, que reforça a acidez tropical do trabalho.

Alegria dos Homens esbanja festa, escatologia, futebol, religiosidade, lirismo, ironia, violência e ternura em 11 faixas bastante diferentes entre si – um agônico e vertiginoso desfile de arquétipos da cultura brasileira.

ARMANDO LÔBO

Compositor, cantor e poeta pernambucano, Armando Lôbo desenvolve gêneros e estilos musicais diversos, com o uso de matizes experimentais e simbiose intensa com a literatura, história, filosofia e religião. Lançou quatro discos que receberam cotação máxima da imprensa especializada. Contemplado em importantes concursos nacionais e internacionais, Armando Lôbo é o único artista brasileiro a vencer os principais prêmios brasileiros tanto na música popular como na música de concerto. Suas peças e canções têm sido executadas por importantes grupos no Brasil, Europa e Estados Unidos. Também tem composto inúmeras trilhas sonoras para televisão, vídeo institucional e cinema.

 

Veja abaixo alguns comentários da crítica especializada da época sobre o disco :

“Uma ambiciosa surpresa musical para abrir 2003”

“Armando Lôbo joga novo sangue na MPB a partir da tradição”

“Pernambuco continua produzindo boa e inovadora música”

“Um disco perfeito para abrir 2003”

“Cotação: ***** ”

Antonio Carlos Miguel – O Globo

 

“Alegria dos Homens tem, em sua dúzia de faixas espalhadas por econômicos 40 minutos, mais ideias e provocações que boa parte das carreiras inteiras de muitos “novos gênios” festejados pela mídia”

Kiko Ferreira – Estado de Minas

 

“De uma safra de autores e intérpretes (que) começa a revolver as entranhas da MPB”

“Jóia instrumental” (sobre “Bachiando no frevo”)

Tárik de Souza – Jornal do Brasil

 

“O pernambucano Armando Lôbo surpreendeu a crítica”

“Compositor-revelação”

Hugo Sukman – O Globo

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.